Finanças

Ibovespa mantém série de altas e avança 0,37% com ações de commodities

O Índice Bovespa deu continuidade nesta segunda-feira, 15, à sua série de altas, que já dura cinco pregões, favorecido principalmente pela alta firme dos preços do petróleo e pela queda do dólar ante o real. Internamente, a alta do IBC-Br no primeiro trimestre do ano também contribuiu para sustentar os preços das ações. Com isso, o indicador terminou o dia em alta de 0,37%, aos 68.474,18 pontos, ainda maior patamar desde 22 de fevereiro. O volume financeiro totalizou R$ 12,2 bilhões, inflado pelos R$ 3,7 bilhões movimentados pelo exercício de opções sobre ações.

A sinalização da Rússia e da Arábia Saudita sobre a possibilidade de extensão do acordo de cortes na produção de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) manteve a commodity em alta durante todo o dia. As ações da Petrobras acompanharam o desempenho positivo do petróleo, além de ainda refletirem o balanço trimestral acima das estimativas, anunciado na semana passada. Petrobras ON e PN subiram 1,63% e 1,49%, respectivamente.

A melhora do petróleo favoreceu a queda do dólar ante outras moedas, que por sua vez incentivou a alta de ações de outras commodities. Com isso, as ações da Vale seguiram suas pares no exterior e subiram 2,86% (ON) e 2,15% (PNA), mesmo com a queda de 1% do minério de ferro no mercado à vista chinês. As ações do setor siderúrgico seguiram a tendência e tiveram ganhos expressivos. CSN ON (+6,06%), Usiminas PNA (6,04%) e Gerdau Metalúrgica (+4,29%) foram as maiores altas do Ibovespa.

As ações do setor financeiro tiveram desempenho mais fraco e limitaram o avanço do Ibovespa. Segundo analistas e operadores, os papéis refletiram a cautela do investidor em relação à possibilidade de o ex-ministro Antonio Palocci optar por fazer um acordo de delação premiada, com risco de desdobramentos desfavoráveis a bancos. Bradesco PN teve alta de 0,16% e Itaú Unibanco PN avançou 0,42%. Banco do Brasil ON perdeu 1,81% depois que o JP Morgan reduziu sua recomendação dos papéis para “neutro”.

Pela manhã, um dos destaques foi o exercício de opções sobre ações, cuja movimentação foi superior ao vencimento anterior (R$ 3,7 bilhões, ante R$ 2,7 bilhões), mas não chegou a gerar volatilidade na Bolsa. A divulgação da alta de 1,12% do IBC-Br no primeiro trimestre de 2017 foi bem recebida no mercado de ações, reforçando a percepção de que a economia retoma lentamente a trajetória de crescimento.

Tópicos

Bovespa