Economia

Ibovespa fecha em alta de 1,76% após Bolsonaro sofrer facada

Bolsa vinha em ascenção tímida, até que a notícia do ataque ao candidato Jair Bolsonaro fez com que ela tivesse crescimento de 1000 pontos em minutos

Ibovespa fecha em alta de 1,76% após Bolsonaro sofrer facada

A Bolsa de Valores vinha em crescente tímida nesta quinta-feira (6). Porém a notícia de facada ao candidato a presidência Jair Bolsonaro na cidade de Juiz de Fora, (MG) agitou os ânimos do mercado, que fechou o dia em alta de 1,76% aos 76.416 pontos. Já o dólar sofreu queda de 0,95%, cotado a R$ 4,10 na venda.

É preciso destacar que até o momento do atentado, a bolsa trabalhava com baixa liquidez. Porém com o início dos boatos – depois confirmados – de um ataque a faca contra Bolsonaro, o mercado começou uma crescente que se manteve até o seu fechamento. A partir das 16:10, o Ibovespa registrou alta de quase 1000 ponto, como pode ser visto na figura abaixo.

Após o fechamento, os índices futuros do Ibovespa e do dólar mantiveram a tendência. O contrato futuro com vencimento em outubro foi para 4,33%, enquanto o dólar bateu queda de 2,39% a R$ 4,054.

Outros papéis que foram beneficiados com a notícia foram das estatais Petrobras (PETR3 +2,02% e PETR4 +2,95%) e Eletrobrás (ELET3 +4,77% e ELET6 +6,22%). A avaliação do mercado é de que o ataque acirra a polarização no País, ponto que pode favorecer Bolsonaro, bem visto por conta de Paulo Guedes, principal nome da equipe econômica do candidato. Outro ponto levantado é de que um possível afastamento de Bolsonaro da campanha poderia favorecer Geraldo Alckimin, tido por muitos como o candidato do mercado.