Economia

IBGE/PNAD Covid: entre não afastados, 8,7 milhões trabalharam de forma remota

O nível superior predomina entre os 8,7 milhões de trabalhadores atuando em regime remoto (home office) no País durante a pandemia da covid-19, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Covid (Pnad Covid), divulgada nesta quarta-feira, 24, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o instituto, em maio, das pessoas com nível superior completo ou pós-graduação, 38,3% estavam trabalhando remotamente.

Os dados mostram que apenas 0,6% das pessoas sem instrução ou com ensino fundamental incompleto e 1,7% daquelas com fundamental completo e médio incompleto estão em home office. Já dos que têm fundamental completo e médio incompleto, 7,9% trabalham remotamente.

Do total de 84,4 milhões de ocupados no Brasil em maio, 65,4 milhões não estavam afastados, o equivalente a 77,5% dos ocupados. Entre os não afastados, 13,3% estavam trabalhando de forma remota.

O grupo etário com a maior proporção de pessoas afastadas do trabalho foi o de 60 anos ou mais: 27,3%. Esse comportamento foi verificado em todas as grandes regiões e, no Nordeste, o afastamento chegou a 33,3% das pessoas de 60 anos ou mais.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?