Economia

IBGE mostra que 17 entre 24 atividades registraram alta de preços no IPP de março

As quedas nos preços das indústrias alimentícias e de refino evitaram uma alta maior no Índice de Preços ao Produtor (IPP) de março, que teve alta de 0,09%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 27.

Entre as 24 atividades industriais pesquisadas, 17 apresentaram variações positivas no mês. Os maiores aumentos foram registrados nas indústrias extrativas (3,44%), confecção de artigos do vestuário e acessórios (2,96%) e impressão (1,78%). Na direção oposta, o segmento de refino de petróleo e produtos de álcool teve o principal recuo: -3,25%.

Em relação à formação da taxa do IPP de março, as maiores contribuições negativas partiram de refino de petróleo e produtos de álcool (-0,34 ponto porcentual) e alimentos (-0,16 ponto porcentual, como resultado de um recuo de 0,77% nos preços). Por outro lado, pressionaram a inflação da indústria os setores de outros produtos químicos (0,16 ponto porcentual) e indústrias extrativas (0,12 ponto porcentual).

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel