Edição nº 1122 24.05 Ver ediçõs anteriores

Huawei abre centro de transparência

Huawei abre centro de transparência

A chinesa Huawei, líder mundial em serviços e produtos de telecomunicações e vice-líder em smartphones, acaba de abrir um centro de transparência de segurança cibernética, em Bruxelas, numa tentativa de neutralizar suspeitas nos mercados ocidentais de que seus equipamentos de rede poderiam ser usados ​​para espionagem pelo governo chinês, acusação feita pelo governo dos Estados Unidos. A empresa afirmou que o centro servirá para demonstrar as soluções de segurança que desenvolveu em áreas como 5G, IoT e cloud. Em comunicado, a companhia diz que “tanto a confiança quanto a desconfiança devem ser baseadas em fatos, não em rumores”.

(Nota publicada na Edição 1111 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Bill Gates sugere cinco livros (disruptivos)

“Cada livro a seguir, com exceção de um”, diz Bill Gates, “lida com a ideia de ruptura. Mas não quero dizer ‘ruptura’ na maneira como [...]

Edição de vídeo simplificada

Junte programas de edição de vídeo de sucesso, como Premiere Pro e Audition, destinados a profissionais, e os simplifique. Esse é o [...]

Tesla, Tesla…

Relatório do Conselho Nacional de Segurança de Trânsito dos EUA confirma que o motorista de um veículo Tesla Model 3 – Jeremy Banner – [...]

Faces que o Facebook controla

Estudo da ONG Consumer Reports indica que usuários do Facebook podem não ter a capacidade de impedir que a plataforma use a tecnologia [...]

O gato aborrecido e 2,7 milhões de seguidores tristes

Sua expressão inegavelmente chateada se tornou símbolo universal de descontentamento. Grumpy Cat, o gato mais famoso da internet, [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.