Investidores

Hora de girar o caixa

Antecipação de recebíveis ganha importância e passa a fazer parte do plano orçamentário de micros, pequenas e médias empresas.

Crédito: Istock

O que antes poderia ser um sinônimo de decadência para uma empresa, hoje faz parte do planejamento no orçamento anual. O Relatório de Crédito do Banco Central (BC), divulgado na última quarta-feira 29 mostra que a expansão do crédito refletiu o desempenho das instituições privadas, cuja carteira cresceu 15,7% no ano. Nas pessoas jurídicas, o crédito livre atingiu R$ 905 bilhões, com aumentos de 4,6% no mês e 11,2% no ano, sobressaindo, em dezembro, o desconto de duplicatas e recebíveis, a antecipação de faturas de cartão e os empréstimos de capital de giro.

Esse movimento foi potencializado pelas fintechs, que chegaram para evoluir o mercado de crédito e sacudir o modelo tradicional de factoring adotado no País. Os diferenciais das fintechs são as taxas competitivas, isenção de impostos, cadastro descomplicado e tudo feito pela internet. Ao se aliar cada vez mais às micros, pequenas e médias empresas, a antecipação de recebíveis por meio de fintechs acaba como alternativa para as altas taxas de juros comercializadas nos meios de empréstimos tradicionais, fora as exigências cadastrais e de histórico.

“Tudo isso, na maioria das vezes, brecava qualquer tentativa de crédito para um empreendedor que já tivesse passado por qualquer problema com órgãos de fiscalização de crédito, como a Serasa”, diz Camilo Telles, CEO e fundador da Antecipa, fintech de antecipação de recebíveis que tem cinco anos de existência, crescimento mensal de 20% e atende mais de 700 empresas como Movida e Gol, entre outras menores.

As nomenclaturas são muito semelhantes, mas a oferta é diferente: outra fintech, a Antecipa Fácil trouxe a inovação de leilões de notas fiscais on-line como modelo de negócio para atender aos pedidos de antecipação de recebíveis. O empresário faz a venda de produtos ou serviços para receber a prazo, emite nota fiscal e então ele coloca seus títulos na plataforma para receber oferta de fator de deságio de inúmeros compradores de todo o Brasil. “Fazemos as checagens e a validação de crédito e os compradores iniciam os lances. O próprio empresário escolhe a melhor oferta para ele e finaliza a operação”, afirma Elber Laranja, sócio e diretor da Antecipa Fácil, que já acelerou R$ 70 milhões de crédito para PMEs.

Facilidades para os dois lados Camilo Telles, CEO e fundador da Antecipa: “Usamos tecnologia que estuda qual é a melhor taxa de acordo com o valor e os agentes da transação”. (Crédito:Erico Amaral)

Pela plataforma da fintech Weel o empreendedor consegue enviar suas notas fiscais, habilitar sua linha de crédito e ter os recursos financeiros disponíveis no mesmo dia, sem recorrer a empréstimos longos e com juros altos. Por meio de Inteligência Artificial e big data, a Weel diz analisar até 15 mil pontos de informação, visando conseguir entender o perfil do cedente (empresa que solicita a antecipação) e a do sacado (a parte que efetua o pagamento da nota fiscal). “Do cadastro ao depósito na conta do cliente, todo o processo de antecipação leva poucos minutos. Sem burocracias e tudo 100% on-line”, diz Nathan Yoles, VP de Growth da Weel.

A Associação Nacional de Fomento Comercial (Anfac) acredita que as fintechs chegaram para dinamizar e facilitar o mercado de pequenas empresas. “No final é uma cadeia em que os bancos também se beneficiam. A Anfac enxerga um progresso considerável para o setor que em 2019 teve crescimento de 10%, para R$ 150 bilhões. Estamos inaugurando a segunda década de um século no embalo de fatores positivos que resultaram nesta animação do setor produtivo”, diz Luiz Lemos Leite, presidente da Anfac.

VANTAGENS Para os cedentes, os principais atrativos de vender um título dentro de fintechs são mais opções de financiadores, já que quando o banco exige mais do cedente do título por estar muito ao risco, sobretudo com pequenas empresas, as opções de factoring se reduzem.

Outra grande vantagem é conseguir antecipar o recebível com depósito em conta corrente, sem a necessidade de emitir um boleto. “Fechamos uma parceria com uma instituição de pagamento para fazer algo inédito no mercado financeiro do país. Criamos uma conta exclusiva para pequenas e médias empresas receberem dos seus clientes e também poder antecipar os seus recebíveis com tranquilidade”, afirma Elber Laranja, CEO da Antecipa Fácil.