Ciência

Hong Kong vai sacrificar hamsters após detectar casos de covid-19

Hong Kong vai sacrificar hamsters após detectar casos de covid-19

Loja de animais Little Boss, em Hong Kong, fechada após detectar casos de covid-19 em hamsters, em 18 de janeiro de 2022 - AFP

Hong Kong vai sacrificar centenas de hamsters depois que alguns deram positivo ao coronavírus, em um momento em que a cidade se empenha em manter sua estratégia de “zero covid”, anunciaram as autoridades nesta terça-feira (18).

A decisão de sacrificar cerca de 2.000 hamsters e outros animais pequenos foi tomada depois que as autoridades de saúde detectaram alguns casos de covid-19 em uma loja de animais de Hong Kong.



A secretária da Saúde, Sophia Chan, disse que com isso pretendem preservar a saúde pública depois que um funcionário da loja e um cliente deram positivo depois de entrarem em contato com os hamsters.

O funcionário foi infectado com a variante delta, muito rara em Hong Kong.

A cidade tem seguido rigidamente a política chinesa de “zero covid”, com a qual tiveram poucos casos de coronavírus. Por outro lado, o centro financeiro foi isolado do resto do mundo nos últimos dois anos.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!


“Internacionalmente não há evidências de que os animais transmitam o coronavírus aos humanos, mas… tomaremos medidas de precaução contra qualquer vetor de transmissão”, explicou Chan em entrevista coletiva.

Inicialmente foram detectadas 11 amostras positivas entre os hamsters à venda na loja Little Boss, no distrito comercial de Causway Bay.


As autoridades acreditam que os animais foram importados da Holanda e pediram a aqueles que compraram um hamster depois de 22 de dezembro que entreguem-no para ser sacrificado.

Cerca de mil animais da Little Boss serão sacrificados, enquanto a equipe e clientes foram submetidos a testes.

Outros mil hamsters de várias outras lojas de Hong Kong também serão sacrificados.

Little Boss e outras lojas de animais deverão permanecer fechadas, enquanto a importação de mamíferos pequenos foi suspensa, segundo as autoridades.