Mundo

Hong Kong ordena abate de hamsters após Covid-19 contaminar animais de estimação

Crédito: REUTERS/Tyrone Siu

Pessoas passam em frente a pet shop fechado em Hong Kong depois de governo anunciar o abate de 2 mil hamsters por causa da Covid-19 (Crédito: REUTERS/Tyrone Siu)



Por Jessie Pang

HONG KONG (Reuters) – Hong Kong ordenou o abate de 2 mil hamsters nesta terça-feira e alertou os donos de “pets” para não beijar os animais após um novo conjunto de casos de Covid-19 ser rastreado de um pet shop.

O surto de casos da variante Delta em humanos ligados ao trabalhador da loja levou à testagem de centenas de animais, com 11 hamsters recebendo o diagnóstico positivo.

+ China tem muitas ferramentas para lidar com desaceleração econômica, diz planejador estatal
+ BC da China adotará mais medidas para estabilizar crescimento




Isso trouxe uma repressão a roedores de estimação em Hong Kong, governada pela China, que segue a política do continente de tolerância zero à Covid-19, mesmo com grande parte do mundo mudando para a abordagem de viver com o vírus.

A secretária de Saúde do território, Sophia Chan, enfatizou em uma coletiva de imprensa que não há evidências de que animais domésticos possam transmitir a doença para humanos, mas as autoridades estão agindo com cautela para proibir a importação e venda de roedores de estimação.

“Os donos de animais de estimação devem manter uma boa prática de higiene, incluindo lavar as mãos depois de tocar nos animais, manusear sua comida ou outros itens e evitar beijar os animais”, disse o diretor do Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação, Leung Siu-fai Leung, a repórteres.


“Se os cidadãos estão criando hamsters, eles devem mantê-los em casa. Não os tragam para fora.”

Centenas de amostras foram coletadas de animais, incluindo coelhos e chinchilas, mas até agora apenas os hamsters testaram positivo para o coronavírus.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0H0GO-BASEIMAGE