Giro

Harvard planeia bloquear a luz solar e Bill Gates vai financiar a experiência

Crédito: Reprodução/Divulgação

A experiência científica que pretende ajudar a compreender a possibilidade de aplicar aerossóis estratosféricos motivados pela geoengenharia. (Crédito: Reprodução/Divulgação)

Cientistas de Harvard propuseram uma experiência radical, mas capaz de diminuir os efeitos do aquecimento global. Aliás, a universidade poderá iniciar os testes do bloqueio de uma parte da luz solar já em junho deste ano. Surpreendentemente, o fundador da Microsoft, Bill Gates, considera a experiência uma grande ideia e vai até financiá-la.

A chamada Stratospheric Controlled Perturbation Experiment (SCoPEx) é uma experiência científica que pretende ajudar a compreender a possibilidade de aplicar aerossóis estratosféricos motivados pela geoengenharia. Esta que nada mais é do que engenharia climática.

+ Fundos de investimento e plataformas de corretagem na berlinda nos EUA
+ Países africanos pedem cessar-fogo a rebeldes centro-africanos

Com a experiência, os cientistas de Harvard pretendem uma melhoria da fidelidade das simulações de geoengenharia, de forma a gerar respostas mais fidedignas a questões vitais em torno do clima. Ou seja, para que os riscos e benefícios da geoengenharia sejam efetivamente compreendidos, os cientistas utilizam estas simulações. Porém, sublinham um risco inerente a este tipo de processo: o otimismo excessivo, possivelmente diferente da realidade.

Por esta razão, os cientistas pretendem, com a SCoPEx, reunir medidas quantitativas da microfísica do aerossol, bem como com a química atmosférica. Isto, porque são os dois pontos que mais falham nas simulações realizadas atualmente.

Harvard: Será esta uma nova forma de combater as alterações climáticas?

Para a experiência, será enviado um balão, que voará sobre a Suécia, de modo a perceber se conseguirá bloquear a luz solar no seu caminho. Caso seja bem-sucedida, surgirá a esperança de uma nova forma de combater as alterações climáticas. Isto, porque, quando o balão atingir a altitude pretendida, enviará partículas refletoras para a atmosfera, de forma a impedir que a luz solar atinja diretamente a Terra. Teoricamente, este processo poderia reduzir os efeitos do aquecimento global.

Conforme foi revelado, os cientistas de Harvard pretendem iniciar os testes em junho deste ano, ainda que seja apenas aos equipamentos que voarão no balão. Uma vez no ar, serão avaliadas as reações químicas na estratosfera através do balão que voará a uma altitude de cerca de 10 quilômetros.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago