Negócios

Harley-Davidson anuncia parceria com chinesa para fabricação de motocicletas

O país se tornou um importante mercado para a marca, com acréscimo de 27% nas vendas no ano passado em comparação com 2017

Harley-Davidson anuncia parceria com chinesa para fabricação de motocicletas

A mais icônica marca de motocicletas do mundo enfrenta dificuldades para se manter nos principais mercados devido às altas taxas de importação e a mudança de comportamento das novas gerações

A Harley-Davidson anunciou uma parceria com a chinesa Qianjiang Motorcycle Company para a produção de motocicletas no país asiático, com previsão de iniciar as vendas já no próximo ano. A ação mostra a intensificação dos esforços da tradicional marca norte-americana na China. O país se tornou um importante mercado para a Harley-Davidson, com acréscimo de 27% nas vendas no ano passado em comparação com 2017.

A aproximação com a China faz parte da estratégia de internacionalização da Harley-Davidson, que espera que metade das vendas sejam feitas fora dos Estados Unidos até 2027. Apesar do prestígio e tradição, a marca de motocicletas enfrenta seguidas baixas no país de origem.

A companhia já investiu na construção de linhas de montagem na Tailândia após o aumento de taxas de produção da União Europeia em junho passado. A proximidade das ilhas com outros países asiáticos também pesou no aporte. A previsão é que as primeiras motocicletas produzidas na Tailândia cheguem à China ainda neste ano.

O foco da Harley-Davidson no mercado internacional irritou o presidente Donald Trump, que sugeriu um boicote aos produtos da marca. “A maioria das outras empresas está vindo em nossa direção, incluindo os concorrentes da Harley”, ele twittou na época.