Negócios

Habib’s cria mistério nas redes sociais com faixa de “passo o ponto”

Crédito: Reprodução / Twitter

O movimento levou os internautas a questionarem se a rede fecharia ou se é uma ação de marketing (Crédito: Reprodução / Twitter)

A rede de fast-food Habib’s criou um mistério nas redes sociais nesta segunda-feira (22). Os restaurantes da franquia amanheceram com uma faixa de “Passo o ponto” na fachada e isso levou os internautas a questionarem se a rede fecharia ou se é uma ação de marketing.

Alguns usuários do Twitter perguntaram para atendentes de lojas de diversos estados do País sobre o que se tratava a novidade. Uma usuária afirmou que os funcionários não sabiam o que estava acontecendo.

+ BMW: modelo esportivo S 1000 RR ganha novo acabamento

A página oficial do Habib’s no Twitter compartilhou a faixa que conta com um número de WhatsApp. Após o contato, é enviado uma resposta automática com a mensagem: “Olá, obrigado pelo envio. Neste momento todos nossos operadores estão ocupados. Assim que possível entraremos em contato. Obrigado!”.



A empresa ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto, mas, segundo rumores, é uma campanha de marketing. A ação deve divulgar um novo serviço digital. A marca já começou a responder os usuários nas redes sociais com mensagens como “O que será que vai vir por aí?”. Atualmente, a rede tem mais de 400 restaurantes espalhados pelo Brasil.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel