Giro

Gustavo Petro é eleito presidente da Colômbia

Progressista recebeu 50,5% dos votos e derrotou o candidato da ultradireita, Rodolfo Hernández, que teve 47,3%. Petro fez campanha prometendo reduzir desigualdades e fortalecer políticas sociais

Crédito: Deutsche Welle

Gustavo Petro recebeu 50,5% dos votos e derrotou o candidato da ultradireita, Rodolfo Hernández, que teve 47,3% (Crédito: Deutsche Welle)



A Colômbia, segundo país mais populoso da América do Sul, elegeu neste domingo (19/06) seu primeiro presidente de esquerda: Gustavo Petro, que já foi deputado, senador e prefeito de Bogotá e concorria ao cargo de presidente pela terceira vez, prometendo reduzir desigualdades e fortalecer políticas sociais.

Ele derrotou o ultradireitista Rodolfo Hernández, empresário da construção civil e ex-prefeito de Bucaramanga que é muito ativo nas redes sociais e teve como eixo de campanha o discurso anticorrupção.

Macron perde maioria absoluta no Parlamento francês, mostram projeções

Petro recebeu 50,5% dos votos e Hernández, 47,3%, segundo o órgão de contagem de votos nacional, diferença de mais de 700 mil votos. Cerca de 22 milhões de pessoas foram às urnas – o voto no país não é obrigatório.




Após a divulgação do resultado, Petro escreveu no Twitter que era um “dia de festa para o povo”. “Que tantos sofrimentos sejam absorvidos pela alegria que hoje inunda o coração da pátria.”

Petro, de 62 anos, chegou a ficar preso por 18 meses nos anos 1980 por sua atividade como membro do grupo guerrilheiro M-19 e hoje se apresenta como um progressista moderado que pretende ampliar o acesso a direitos sociais e proteger o meio ambiente.

A Colômbia terá também sua primeira vice-presidente negra: Francia Márquez, de 40 anos, ativista ambiental e de direitos humanos que se notabilizou ao enfrentar o garimpo ilegal de ouro.


Já Hernández, de 77 anos, construiu uma forte presença em redes sociais e aplicativos de mensagem, como o TikTok e o WhatsApp, para se apresentar como um candidato de fora do sistema político e contra a corrupção – no entanto, ele mesmo é investigado em um processo que apura direcionamento de licitação quando era prefeito, o que ele nega. Entre suas propostas, estava vender aviões e automóveis usados por autoridades e transformar a residência presidencial em um museu.

Em vídeo publicado em uma rede social neste domingo, Hernández reconheceu a sua derrota. “Colombianos, hoje a maioria dos cidadãos escolheu o outro candidato. Como disse durante a campanha, eu aceito o resultado desta eleição”, afirmou.

bl (AP, Reuters)






Tópicos

abertura de empresas abuso dos direitos humanos acordo de paz adolf Hitler Albert Einstein alimentos Álvaro Uribe anticorrupção aplicativos de mensagem assassinados ativista ambiental automóveis aviões baixa aprovação Bucamaranga ciências Cofres públicos Colômbia corrupção Covid-19 crianças pobres debates Desigualdade desigualdades diferença salarial entre homens e mulheres direita tradicional direitos humanos direitos sociais discurso discurso anticorrupção disputa presidencial disputa presidencial na Colômbia empreendedorismo digital empresário da construção civil esquerda esquerda colombiana ex-mandatário Álvaro Uribe ex-prefeito de Bucaramanga Farc Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia Francia Márquez garimpo ilegal governo Duque grupo guerrilheiro M-19 guerrilha guerrilha das Farc Gustavo Petro Hernández Íngrid Betancourt Iván Duque Jair Bolsonaro Javier Ordóñez Jhon Claro Juan Manuel Santos líderes sociais líderes sociais assassinados Liga de Governadores Anticorrupção Marelen Castillo meio ambiente mercado de trabalho mulheres negras mulheres venezuelanas museu país mais populoso da América do Sul pandemia pandemia de covid-19 Paz pesquisas eleitorais petro políticas sociais prefeito de Bogotá presidente presidente brasileiro Presidente colombiano produtos progressista progressista Gustavo Petro progressista moderado protestos redes sociais Rei do TikTok residência presidencial Rodolfo Hernandez seguidores na rede social segundo país mais populoso da América do Sul sistema político tiktok Trump Tropical ultradireitista ultradireitista Rodolfo Hernández universidade católica uribismo violência WhatsApp zonas rurais