Giro

Guerra na Ucrânia é tema central da abertura da reunião anual da OMS

Guerra na Ucrânia é tema central da abertura da reunião anual da OMS

Delegados se reúnem na abertura da 75ª Assembleia Anual da Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, em 22 de maio de 2022 - AFP



A “devastadora” guerra na Ucrânia ocupou um lugar central na inauguração da assembleia anual da Organização Mundial da Saúde (OMS) neste domingo (22) e ameaça ofuscar os esforços feitos em outras crises, assim como uma reforma para prevenir futuras pandemias.

“Onde há guerra, também há fome e doenças”, declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante seu discurso de abertura na 75ª Assembleia Mundial da Saúde.

“A paz é indispensável para a saúde”, frisou.

Esta assembleia deve decidir se renovará o mandato de Tedros por outros cinco anos, após uma primeira gestão marcada pela pandemia da covid-19.



Pouco antes, o presidente francês, Emmanuel Macron, pediu aos 194 Estados-membros da organização que apoiem a resolução que será apresentada na terça-feira (24) pela Ucrânia. O texto condena duramente a invasão russa, em especial, seus mais de 200 ataques ao sistema de saúde, incluindo hospitais e ambulâncias.

O conflito na Ucrânia não é, porém, a única emergência sanitária a ser discutida ao longo da semana.

“Esta reunião é uma oportunidade histórica para fortalecer a arquitetura universal de segurança e saúde”, disse à assembleia o presidente da República Dominicana, Luis Abinader Corona.


As negociações abordarão, por exemplo, como fortalecer as respostas a futuras pandemias por meio de um instrumento legal, como um tratado.

Entre as principais reformas em pauta, está a do orçamento da OMS. Os países devem dar sinal verde para um acordo para que a organização tenha um financiamento mais seguro e flexível.

O orçamento semestral da OMS para 2020-21 foi de US$ 5,8 bilhões, mas apenas 16% desse valor é procedente das cotas ordinárias de seus membros. A ideia é aumentar estas cotas, gradualmente, de modo a chegar a até 50%.

A assembleia termina no próximo sábado (28). Trata-se da primeira a ser realizada de forma presencial desde a eclosão da pandemia de covid-19 no fim de 2019.