Edição nº 1104 18.01 Ver ediçõs anteriores

Guerra das conferências

Guerra das conferências

Não foi por acaso que Microsoft e Google agendaram suas maiores conferências anuais para desenvolvedores de tecnologia na mesma semana. As duas companhias querem que os consumidores comparem seus anúncios. Na segunda-feira 7 começou a Build, evento da empresa de Bill Gates. E os participantes viram o CEO Satya Nadella prosseguir na sua missão de tirar o Windows do centro do universo da empresa. A palavra mais ouvida era a integração de vários produtos com a nuvem, com a plataforma Android, do Google, com drones e até de sua assistente digital Cortana com a Alexa, da Amazon. Em meio às boas notícias, Nadella admitiu um adiamento. A meta de atingir 1 bilhão de dispositivos com o Windows 10 não será atingida este ano. Quem sabe em 2019?

 

… e das assistentes

Um dia depois, terça-feira 8, foi a vez do Google I/O, evento coordenado pelo CEO Sundar Pichai. Ali, a palavra de ordem foi inteligência artificial. Durante o dia, o que se ouviu foi como todos os produtos – notícias, mapas, Android, Gmail – vão fazer tudo mais rápido e fácil com cada vez menos esforço do usuário. As máquinas vão selecionar os fatos, organizar as fotos e orientar o turista. Há anos, o Google não apresentava tantas novidades de uma só vez. Mas o que mais impressionou a audiência da conferência foi o desempenho da assistente virtual da Google. Pichai mostrou vídeos em que a assistente conversava com atendentes ao telefone, marcando um corte de cabelo e fazendo uma reserva no restaurante. Não era possível perceber que se tratava de uma máquina falando.

(Nota publicada na Edição 1069 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A Amazon quer jogar

A companhia de Jeff Bezos está de olho no mercado de streaming. E isso não significa apenas investir no Prime, o seu serviço de [...]

Ovo popular

A internet é uma caixinha de surpresas. E de bizarrices. A prova mais recente disso foi dada no Instagram. Publicada no dia 4 de [...]

Carga perigosa

Os Correios vão adotar um processo mais rigoroso para o envio de itens eletrônicos por encomendas. A estatal brasileira vai passar a [...]

Era uma casa…

Quarta maior fabricante de smartphones do planeta, a Xiaomi quer ir além das telinhas. Na sexta-feira 11, a gigante chinesa informou [...]

11 milhões

É o número de baterias de iPhones que foram substituídas pela Apple em 2018. Em 2017, foram menos de 2 milhões de componentes trocados (Nota publicada na Edição 1104 da Revista Dinheiro)

Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.