Ciência

Gucci, Zara e Christian Siriano se mobilizam para ajudar com máscaras e insumos médicos

Crédito: Reprodução/Twitter Christian Siriano

Siriano publicou uma foto de suas funcionárias produzindo máscaras em Nova York (Crédito: Reprodução/Twitter Christian Siriano)


Com os mercados interrompidos em todo o globo, devido a expansão do coronavírus, marcas de destaque no mundo da moda começaram a se mobilizar para ajudar na confecção de máscaras de proteção, um dos itens em maior falta quando o assunto é prevenção contra a Covid-19.

Segundo a CNN, parte da indústria da moda está ociosa com as interrupções na linha de produção de roupas e artigos pessoais. Isso levou designers, marcas de luxo e conglomerados a se prepararem para ajudar a superar a escassez de máscaras e outros equipamentos, como álcool em gel, por exemplo.

+ Grupo que controla Louis Vuitton vai distribuir álcool gel gratuitamente na França
+ Presidente da Câmara dos EUA diz que versão do pacote de ajuda será revisada

Um dos primeiros a se voluntariar, após pedido do governador de Nova York, Andrew Cuomo, foi o designer Christian Siriano. Ele é ex-participante de um reality show famoso nos Estados Unidos, o “Project Runaway”, e usou seu perfil no Twitter para anunciar que sua equipe ajudará na produção de máscaras.

“Ainda tenho uma equipe de costura completa, fazendo home office, que pode ajudar”, tuítou Siriano na última semana.

O designer nepalês-americano Prabal Gurung também se ofereceu para ajudar e disse que esperava “não apenas preencher o vazio de equipamentos de proteção, mas também mobilizar nossos parceiros domésticos, revitalizando os produtores e fornecedores americanos”.

Brandon Maxwell, que vestiu celebridades como Lady Gaga e Michelle Obama, anunciou que está redirecionando recursos para a produção de vestidos para profissionais da área médica.

As marcas de roupas de banho de luxo Karla Colletto, na Virgínia e a Los Angeles Apparel, anunciaram que mais de 450 trabalhadores estão prontos para produzir máscaras e distribuí-las às autoridades.

Na Europa, dois gigantes do setor de modas, a H&M e a Inditex, controladora da Zara, se comprometeram a direcionar as operações para a manufatura de insumos médicos.

O conglomerado francês Kering também anunciou que duas de suas marcas, a Balenciaga e Yves Saint Laurent, vão fabricar máscaras.

O grupo também se comprometeu a adquirir 3 milhões de máscaras da China para o governo francês, enquanto sua maior marca, a Gucci, deve fazer uma doação de mais de 1,1 milhão de máscaras e 55 mil macacões médicos a autoridades na Itália.