Economia

Grupo de 350 funcionários ficará em lay-off

Ao mesmo tempo em que anuncia a preparação da fábrica de São Caetano do Sul (SP) para produzir um novo veículo, a General Motors vai suspender temporariamente os contratos de 350 funcionários (lay-off) provavelmente ainda nesta semana.

Segundo a GM, a crise sanitária e econômica provocada pela pandemia tem impactado a cadeia de suprimentos e o negócio da indústria automotiva. Informa que vem tomando uma série de medidas para proteger a saúde e segurança dos empregados, fornecedores e parceiros, preservar empregos e garantir a sustentabilidade do negócio.

Acrescenta que tem utilizado desde o ano passado mecanismos como redução de custos, banco de horas, férias coletivas, redução de jornada com redução salarial, lay-off e planos de demissão voluntária (PDV).

“Com o objetivo de manter empregos, a GM acordou com o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul estabelecer um plano de lay-off para funcionários excedentes, que foi aprovado em assembleia na sexta-feira”, informa a empresa.

Aparecida Inácio da Silva, presidente do sindicato, diz que o lay-off poderá durar até quatro meses. Pelo programa, o governo banca parte dos salários dos afastados, e a GM completa a diferença para que o valor mensal seja mantido. A unidade emprega cerca de 7,8 mil funcionários, 3,5 mil deles na produção.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel