Giro

Greve de funcionários da saúde no Rio deve ser ampliada por falta de pagamento

A diretora do Sindicato dos Enfermeiros, Líbia Beluscci, afirmou nesta terça-feira, 17, que a greve dos funcionários da saúde do Rio deve ser ampliada nas próximas horas, por conta da decisão da Prefeitura de suspender todos os pagamentos do município.

Segundo Líbia, mesmo que o dinheiro das Organizações Sociais (OSs) seja depositado pelo TRT-RJ e alguns funcionários da saúde do município recebam, a paralisação deve ser ampliada. Atualmente, a greve abarca apenas os funcionários das OSs, num total de 22 mil pessoas.

Os hospitais que contam com servidores contratados diretamente pela Prefeitura, como Salgado Filho, Souza Aguiar e Miguel Couto, embora sobrecarregados por conta da paralisação, seguem em funcionamento.

O anúncio desta terça-feira, da Prefeitura, de suspender todos os pagamentos, pode alterar esta situação. “A greve só termina se forem feitos todos os pagamentos: outubro, novembro, 13º e benefícios”, afirmou Líbia. “E os servidores também não podem ficar sem o 13º. Então, a nossa tendência é paralisar tudo.”



Com essa decisão, apenas os casos muito graves continuarão sendo atendidos, o que deve agravar ainda mais a situação da saúde no município.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

Tópicos

crise greve rio saúde