Negócios

GPA aumenta vendas, reduz despesas e passa de prejuízo para lucro no 1º tri

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) – O GPA teve lucro líquido de 127 milhões de reais no primeiro trimestre, ante prejuízo de 119 milhões de reais um ano antes, favorecido por aumento das vendas e redução das despesas.

O grupo controlado pelo francês Casino e que no mês passado concluiu a cisão do braço de atacarejo Assaí, viu sua receita líquida de janeiro a março somar 12,45 bilhões de reais, aumento de 4,9% em 12 meses.

Já o resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou 935 milhões de reais, alta de 36% ano a ano, beneficado por eficiências comerciais e controle das despesas no Brasil. A margem Ebitda subiu 1,7 ponto percentual, para 7,5%.

As vendas mesmas lojas caíram 0,7%, pressionadas por impactos da pandemia nas operações do grupo Êxito na Colômbia e Uruguai. No Brasil, as vendas mesmas lojas subiram 1,1% no primeiro trimestre.

Sem o impacto da Covid-19, o GPA afirma que as vendas mesmas lojas teriam subido 4,8% no nível consolidado e 5% no Brasil.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

“O cenário de vendas permanece em crescimento no trimestre, mesmo impactado por desafios relacionados principalmente ao contexto macroeconômico e pandemia, com severas medidas restritivas envolvendo fechamento de lojas aos finais de semana, horário de abertura reduzidos e proibição da venda de algumas categorias”, afirmou o GPA no relatório.

Na linha outras despesas operacionais, o resultado negativo foi 71,9% menor na comparação anual, para um déficit de 60 milhões de reais.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel