Giro

Governo zera taxa de importação de produtos contra covid-19 via remessa postal

O Ministério da Economia reduziu de 60% para 0% as alíquotas do Imposto de Importação de produtos destinados ao combate ao novo coronavírus adquiridos via remessa postal ou por encomenda aérea internacional. A medida alcança mercadorias de até US$ 10 mil e terá vigência até 30 de setembro deste ano.

A lista dos itens beneficiados consta de portaria assinada pelo ministro Paulo Guedes e publicada no Diário Oficial da União (DOU). Dentre eles, estão medicamentos como azitromicina e cloroquina, luvas e máscaras de proteção, kits de teste para covid-19, álcool em gel e volume 70% e equipamentos hospitalares como respiradores artificiais.

Em nota, a Receita Federal explica que a portaria foi editada para que os produtos enviados pelo Regime de Tributação Simplificada, que é aplicado a remessas postais e encomendas aéreas, tivessem o mesmo tratamento que as mercadorias despachadas por meio das Declarações de Importação tradicionais.

De acordo com a Receita, a redução tributária vai beneficiar, por exemplo, uma grande quantidade de produtos doados por pessoas de diversas partes do mundo e componentes necessários à produção de respiradores artificiais.



Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel