Giro

Governo federal é deliberadamente ausente no fornecimento de oxigênio, diz Garcia

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), reforçou críticas ao governo federal nesta segunda-feira, 22, classificando-o como ausente, de forma “deliberada”, com relação ao fornecimento de oxigênio e de financiamento de leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI, deixando os Estados e municípios brasileiros “numa situação asfixiante”.

Garcia destacou que o Ministério da Saúde está há 28 dias descumprindo a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de retomar o custeio de todos os leitos de UTI no Estado.

O custo mensal para custeio que deve ser retomado é estimado em R$ 245 milhões por mês.

De acordo com o vice-governador, o dinheiro enviado pela Saúde até o momento é o suficiente para cobrir o custeio de apenas 20% dos 5.800 leitos de UTI em atividade em São Paulo.



Para o vice-governador, o Ministério da Saúde “faz um grande alarde” do repasse realizado até o momento, “mas faltou informar que mais de 80% dos leitos seguem sem financiamento federal”.

Garcia disse também que estamos vivendo uma “negação ao SUS”, ao comentar a atuação do Ministério da Saúde nessas questões, incluindo o financiamento federal de leitos no Estado.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km