Economia

Governo expande auxílio emergencial em mais duas parcelas

Crédito: Fabio Rodrigues / Agência Brasil

O ministro da economia, Paulo Guedes: "Podemos pegar os dois pagamentos e dividir de uma forma que cubra os três meses” (Crédito: Fabio Rodrigues / Agência Brasil)

Na tarde desta terça-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que amplia o programa de auxílio emergencial aos trabalhadores informais em mais duas parcelas. Inicialmente, o projeto previa três depósitos de R$ 600.

O valor, no entanto, deve ser dividido em três pagamentos. Na cerimônia de abertura, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, explicou que a quantidade de pagamentos do benefício será decidida com base na necessidade dos trabalhadores e retomada da economia.

+ Saiba o que fazer caso a Caixa tenha negado o seu auxílio emergencial
+ Carteira Verde e Amarela atenderá 30 milhões do auxílio emergencial

“Estendemos essa camada de fraternidade oficialmente por mais dois meses de R$ 600, isso é o que a lei permite. Mas se nós tivermos a percepção sobre a duração um pouco mais extensa, ou não, dessa crise podemos pegar os dois pagamentos e dividir de uma forma que cubra os três meses”, disse Guedes.

A quantia que será disponibilizada em cada pagamento não foi divulgada. Ontem, o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, informou que a extensão do auxílio emergencial custará R$ 100 bilhões ao governo.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança