Negócios

Governo deve leiloar mais 22 ativos neste ano, com R$ 84 bi de investimentos

Após o leilão do trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que foi arrematado pela Bahia Mineração (Bamin) em proposta única, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que a pasta deve promover leilões de mais 22 ativos até o final do ano, com investimentos estimados em R$ 84 bilhões. “O leilão da Fiol foi um sucesso, trata-se da segunda concessão de ferrovias do governo Bolsonaro, que ficaram tanto tempo esquecidas”, disse a jornalistas.

O ministro destacou que o leilão da Fiol será fundamental para o desenvolvimento da Bahia e que o governo trabalha para promover inúmeros projetos na região. “O ministério já tem um projeto para asfaltar a BR-030, tão importante para o Estado, assim como a Fiol”.

Outro projeto que ele afirma estar em desenvolvimento é o da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), cujas obras já estão próximas de começar.

Nesta semana, chamada de Infra Week, o ministério da Infraestrutura está leiloando 28 ativos, entre aeroportos, portos e ferrovias. A expectativa do governo é arrecadar, no total, R$ 10 bilhões. Cerca de R$ 9,4 bilhões já foram contratados.

A secretária especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier, acrescenta que a carteira de leilões da entidade, para 2021, soma 129 ativos, com investimentos estimados em R$ 460 bilhões.

Ela reforçou que principalmente a carteira de saneamento básico é fundamental para o País. “Estamos dando todo o suporte para destravar esses investimentos.”

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel