Economia

Governo argentino quer enviar a Congresso plano de estabilidade negociado com FMI

O ministro da Economia da Argentina, Martin Guzmán, afirmou nesta quarta-feira, 9, que o governo do país pretende enviar ao Congresso local o plano de estabilidade financeira negociado com o Fundo Monetário Internacional (FMI). “Será a primeira vez que isso ocorrerá na Argentina, queremos que a estabilidade financeira seja um plano de Estado, e não somente de governo”, disse o ministro, ao traçar algumas das medidas a serem adotadas no plano econômico argentino, em evento organizado pelo Peterson Institute for International Economics (PIIE).

Quanto ao cenário para o fim de 2020, Guzmán disse que a atividade econômica do país tem demonstrado sinais de recuperação, em especial nos últimos 3 meses.

“A atividade está se estabilizando e alguns setores registraram ligeira recuperação”, disse o ministro.

Ele também defendeu maior atuação do Estado para garantir um ambiente interno mais competitivo, que seria crucial para alcançar um futuro de crescimento sustentável na Argentina, segundo o ministro.



Guzmán ainda afirmou que, ao fim de 2021, a equipe econômica do governo argentino espera retornar a taxa de câmbio para os níveis de 10 de dezembro de 2019, dia em que o presidente Alberto Fernández tomou posse.

“Nossa política para o câmbio é de uma taxa estável”, afirmou o ministro, para quem a inflação provavelmente será principal motivo de preocupação da economia argentina no ano que vem.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel