Edição nº 1143 21.10 Ver ediçõs anteriores

Google versus terapias experimentais

Google versus terapias experimentais

Tem tratamento de autismo à base de alvejantes, bebidas que curam o câncer, soluções clínicas envolvendo célula-tronco, terapia genética e uma cartela de receitas que só não te fazem voar. Bem… não tem mais. O Google baixou uma nova norma em sua política de publicidade proibindo anúncios que vendam tratamentos biomédicos ou técnicas médicas não comprovadas ou experimentais. No comunicado, a empresa diz saber “que descobertas médicas importantes geralmente começam por ideias não comprovadas, mas, ao mesmo tempo, o número de pessoas que tenta tirar vantagem dos outros oferecendo tratamentos enganosos e não comprovados aumentou”. A plataforma afirma que tratamentos sem endosso científico não serão mais publicados e que usará uma combinação automatizada e humana para bloquear esse tipo de anúncio.

(Nota publicada na Edição 1139 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Touchscreen? Esqueça. Touch é sua jaqueta

Como diz a reportagem do The New York Times, a Levi’s Trucker Jacket, feita em colaboração com o Google, “faz muitas coisas [...]

Streaming ultrapassa TV paga

(Nota publicada na Edição 1143 da Revista Dinheiro)

Black Friday movimenta retargeting

Retargeting é a expressão usada no marketing digital para você ‘voltar a conversar’ com alguém que já tenha interagido com sua marca. Vale desde abordar novamente aquele cliente que estava com o carrinho de compras on-line pela metade e desistiu até a adaptação da comunicação para impactar alguém que até entrou em seu site, mas […]

KondZilla, nosso case global

Think With é uma newsletter do Google para compartilhar cases e boas práticas. Um dos recentes destaques de sua página em português é o [...]

Stadia: está mais para loja do que para Netflix

Data marcada: 19 de novembro. O Google definiu o lançamento do Stadia, seu serviço de jogos on-line. A plataforma permitirá que os games sejam acessíveis a partir de qualquer conexão e disponíveis para qualquer dispositivo. Também foi anunciada a primeira leva de títulos. São 31 games de 21 produtoras. O serviço contemplará 14 países, sem […]

Ver mais