Google pede desculpas

O gigante da internet Google se desculpou com uma série de anunciantes no Reino Unido, como o banco HSBC, a rede BBC e o McDonald’s, após ter veiculado propaganda dessas empresas atreladas a vídeos no YouTube que apresentavam conteúdos racistas, homofóbicos e antissemitas.

Algumas companhias chegaram a retirar seus anúncios do site. A empresa afirmou que está tomando duras providências contra esse tipo de conteúdo e contratando mais pessoas para atuarem nessa verificação. A Inglaterra é o maior mercado da Alphabet, holding que controla o Google, fora dos Estados Unidos, em receita.

(Nota publicada na Edição 1011 da revista Dinheiro)


Mais posts

US$ 150 milhões para mulheres que inovam

Linhas de financiamento para projetos de caráter ambiental e social crescem exponencialmente, mas muitos empreendedores ainda enfrentam [...]

100 milhões de árvores em 5 anos

O aquecimento global tem exigido que as empresas reduzam emissões, aumentem a eficiência energética e mantenham métodos de produção sustentáveis. É o míninmo a se fazer, mas não é tudo. A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta que até 2100 o planeta pode estar de 3 a 5 graus Celsius mais quente do que estava […]

Emirates entra no combate às queimadas

Para ajudar na recuperação das áreas florestais da Austrália destruídas pelos incêndios das últimas semanas, a companhia aérea Emirates [...]

As líderes do futuro no mundo da tecnologia

Quatro brasileiras tiveram a oportunidade de conhecer o Vale do Silício, nos EUA, em um programa patrocinado pelo banco Original junto [...]

Tapera das Artes é a nova parceira social da Azul

Muito atacada durante o período eleitoral, a Lei Rouanet mostra-se uma ferramenta importante também para o incentivo a programas de [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.