Tecnologia

Google lança Blob Opera e usuários podem criar suas próprias melodias

Crédito: Divulgação - Google Arts & Culture

A ferramenta usa a tecnologia machine learning para criar composições, que são representadas por quatro criaturas coloridas e sem braços, os blobs (Crédito: Divulgação - Google Arts & Culture)

O Google anunciou recentemente a última surpresa deste ano para os seus usuários. Desta vez, os contemplados serão compositores e amantes de música. O Blob Opera vai permitir que os usuários criem melodias com os vários tons de canto lírico.

De acordo com o Olhar Digital, a ferramenta usa a tecnologia machine learning para criar composições, que são representadas por quatro criaturas coloridas e sem braços, os blobs. O aplicativo pode ser acessado neste link.

+ Google recebe aval de comissão antitruste para compra da Fitbit por US$ 2,1 bilhões
+ Google Pay é o app mais baixado na Apple nos últimos 30 dias

É possível reproduzir alguns dos clássicos natalinos como também criar a sua própria música. A funcionalidade da ferramenta é simples. Depois de carregar o aplicativo, você define o tom que será reproduzio pelos blobs. É só escolher a nota de sua preferência.



Os bichinhos não reproduzam vozes de cantores, mas são capazes, graças à tecnologia machine learning, de replicar o estilo de cantores líricos, como Christian Joel, Frederick Tong, Joanna Gamble e Olivia Doutney.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel