Ciência

Google deixa de desenvolver videogames para se concentrar em plataforma Stadia

Crédito: GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/Arquivos

No final de 2019, a gigante da tecnologia lançou a plataforma que permite jogar remotamente jogos com a mesma qualidade dos consoles (Crédito: GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/Arquivos)

O Google anunciou nesta segunda-feira (1º) o fechamento de seu estúdio de desenvolvimento de videogames, dando a oportunidade para que desenvolvedoras independentes produzam novos títulos para o Stadia, sua plataforma de jogos na nuvem.

No final de 2019, a gigante da tecnologia lançou a plataforma que permite jogar remotamente jogos com a mesma qualidade dos consoles, sem a necessidade de baixar ou comprar equipamentos caros.

+ Apple Watch permite desbloquear iPhone mesmo de máscara

O Google também fundou seu próprio estúdio, o Stadia Games and Entertainment (SG&E), para criar títulos exclusivos.

Mas “criar jogos de melhor qualidade do zero leva muitos anos e um investimento significativo. E os custos estão aumentando exponencialmente”, disse o grupo da Califórnia em um comunicado.

“Como já estamos focados na tecnologia Stadia e aprofundando nossos contratos comerciais, decidimos parar de investir em design de conteúdo exclusivo por nossas equipes internas de SG&E”, acrescentou.

A assinatura da plataforma Stadia custa 10 dólares por mês com direito a alguns jogos, mas o acesso à maior parte do catálogo tem um custo maior.

“Claramente, a tecnologia do Stadia funciona em grande escala”, garantiu o Google, citando o lançamento do Cyberpunk 2077 como um dos sucessos da plataforma.

“Streaming é o futuro da indústria de jogos e continuaremos investindo no Stadia e em sua infraestrutura”, concluiu a gigante de tecnologia.

No final do ano passado, a Amazon lançou um serviço semelhante nos Estados Unidos, batizado de Luna, que compete com o Stadia e com a plataforma xCloud da Microsoft.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel