Negócios

Gigantes da tecnologia miram em Nova York

Especulações do interesse da Amazon e Google confirmam potencial da cidade; incentivos do governo e estrutura atraem investidores

Gigantes da tecnologia miram em Nova York

Referência no setor financeiro também é atrativo para as empresas de tecnologia

A hegemonia do Vale do Silício como Meca da tecnologia nos Estados Unidos pode estar com os dias contados. Gradativamente, empresas do setor estão olhado para o outro lado do país e enxergando Nova York como uma nova terra fértil ao desenvolvimento dos seus projetos.

As especulação bastante concretas do interesse das gigantes Amazon e Google em fixarem base na Big Apple confirmam o seu potencial em se tornar uma nova referência no setor, publicou a CNN.

A Amazon, com sede em Seattle, já adiantou que dividirá o seu novo centro de comando em duas novas cidades. Segundo analistas, está quase certo que Nova York será uma delas. A projeção da companhia de Jeff Bezos é aumentar em 50 mil os postos de trabalho. Caso metade disso fique na região de Manhattan, já reflete em milhares de novos empregos.

A Google também não confirma, mas fortes indícios apontam que a empresa escolheu Nova York como próximo ponto de expansão. De acordo com o Wall Street Journal, a companhia estuda a compra de um complexo na região do West Village, com potencial de abrir 8,5 mil postos de trabalho.

O Spotify, em 2014, foi a primeira gigante a se instalar na Big Apple. O interesse do setor tecnológico é resultado da soma de esforços desenvolvido ao longo dos anos. A estratégia passa pelo incentivo do poder público ao investimento em segurança cibernética e apoio das universidades locais.

Além disso, especialistas apontam a sua pluralidade como atrativo. Diferente das cidades da costa Oeste, Nova York é um polo em marketing e finanças, terrenos cada vez mais dominados pelas empresas do setor tecnológico.

Em 2016, a cidade concentrou 128,6 mil empregos na área de tecnologia, segundo dados do governo. O número recorde pode ficar pequeno caso as projeções de investimento do segmento se concretizem.