Economia

Gasolina e conta de luz pressionam inflação ao consumidor no IGP-10 de agosto

A alta no custo da gasolina e da conta de luz ajudou a sustentar a inflação ao consumidor dentro do Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) de agosto, informou nesta sexta-feira, 14, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10) passou de uma elevação de 0,50% em julho para um aumento de 0,48% em agosto.

Quatro das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais baixas, com destaque para o grupo Educação, Leitura e Recreação, que saiu de 0,21% em julho para -0,77% em agosto. O item passagem aérea passou de 13,64% para -3,24% no período.

Os demais decréscimos ocorreram nas taxas de variação os grupos Transportes (de 1,37% para 1,14%), Vestuário (de -0,06% para -0,25%) e Alimentação (de 0,34% para 0,33%), sob influência de itens como a gasolina (de 4,17% para 3,37%), roupas (de -0,05% para -0,47%) e hortaliças e legumes (de -8,07% para -10,23%).

Na direção oposta, as taxas foram mais elevadas nos grupos Habitação (de 0,26% para 0,64%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,40% para 0,50%), Despesas Diversas (de 0,20% para 0,42%) e Comunicação (de 0,60% para 0,72%).

Houve contribuição dos itens tarifa de eletricidade residencial (de -0,09% para 2,01%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,31% para 0,58%), conserto de aparelho telefônico celular (de -0,17% para 2,09%) e mensalidade para TV por assinatura (de 1,04% para 2,22%).

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?