Negócios

Futuro CEO da Alpargatas diz que vai acelerar digitalização

Em meio ao processo de transição, o futuro presidente da Alpargatas, Roberto Funari, citou a digitalização como um dos focos de sua gestão que começa no primeiro trimestre de 2019. Ele assumirá o posto com a saída de Márcio Utsch, que deixa a diretoria da companhia ao completar 60 anos em 2019.

Durante reunião com analistas e investidores, Funari citou o processo de digitalização, a expansão global e a força das marcas como parte de sua visão para a companhia.

“A captura de valor vai acontecer se fizermos três coisas com excelência: continuar criando desejabilidade por meio de nossas marcas, acelerar o processo de digitalização e escalar com excelência”, disse o executivo, que no momento atua no Conselho de Administração da Alpargatas desde abril.

Questionado sobre quais seriam as principais apostas da companhia, ele citou a expansão das operações internacionais e disse que a companhia seleciona “poucos países onde vai alocar recursos e capacidade de execução”. Funari citou a Índia, a China e os Estados Unidos como prioridade.

Uma reestruturação da operação nos Estados Unidos visando acelerar o crescimento no país começou este ano. A sede da empresa saiu de Nova York para Los Angeles e a campanha de vendas mais importante no país, a de verão, começa em março.

Em 2018, sob comando de Utsch, a Alpargatas criou uma nova estrutura organizacional para separar a gestão em regionais, as operações no Brasil compõem uma divisão independente e há ainda unidades para América do Norte, Europa e Oriente Médio, América Latina e África, além de Ásia Pacífico.

Funari comentou ainda sobre a operação brasileira. Ele afirmou que ainda vê oportunidades de expansão no mercado doméstico e citou a extensão de marca da Havaianas como um foco. O futuro presidente da Alpargatas disse ainda que a marca Osklen tem um papel importante no portfólio da companhia.