Geral

Fundador da Microsoft lança maior avião do mundo para mandar foguetes ao espaço

Fundador da Microsoft lança maior avião do mundo para mandar foguetes ao espaço

Imagine uma avião cuja a distância de asa a asa tenha quase o tamanho de um campo de futebol. Ele existe, e está prestes a alçar voo.

Trata-se do Stratolaunch, aeronave que recebe o título de maior do mundo e tem voo inaugural marcado para setembro. Para entender o tamanho da obra, o maior avião comercial do mundo, o A380 da Airbus, tem envergadura de 79 metros. A enormidade do projeto é justificada pelo seu propósito: ser uma plataforma para lançar foguetes no espaço.

O projeto é bancado pelo fundador da Apple, Paul Allen, que como fã de ficção científica sempre teve fascinação por foguetes. O hobby virou negócio quando o empresário conheceu Burt Rutan, designer de conceitos inusitados de avião com sua empresa, a Scaled Composites.

Simulação do avião com o foguete acoplado

Da parceria nasceu a Space Ship One, que buscava popularizar viagens espaciais e chegou a levar alguns clientes para a órbita terrestre na metade dos anos 2000. Após alguns anos afastados, a dupla voltou a trabalhar junta quando Rutan veio com o projeto de um avião para lançar foguetes no espaço, o Stratolauch, capaz de decolar com peso de 589 toneladas e com com 128 km de fios e com um design que lembra um barco tipo catamarã com seus dois cascos paralelos.

Para construir a asa de 117 metros, os engenheiros do projeto tiveram que desenvolver técnica única. Para tal, mantinham o material da asa sob pressão constante para depois dar rigidez “cozinhando” ele.

Como medidas de manter custos, o projeto se utilizou de peças de outros aviões, como seis motores de Boeing 747. Agora o maior desafio da aeronave é pousar. Como cabine do piloto fica somente na fuselagem direita, tocar os trens de pouso ao mesmo tempo é um grande desafio, e qualquer erro pode desencadear uma catástrofe.

Allen iniciou seu projeto com o intutio de popularizar viagens espaciais. Porém com a concorrência de Elon Musk e sua SpaceX e Jeff Bezos com a Blue Origin, o fundador da Microsoft mudou o foco da empreitada, focando na popularização do lançamento de satélites na órbita terrestre. Segundo Allen, o projeto permitirá o lançamento por US$30 milhões, metade do preço oferecido pela SpaceX. A expectativa é que isto ocorra em 2022.