Negócios

Funcionários da Amazon pressionam empresa por políticas climáticas

Grupo foi derrotado ao apresentar proposta para que a companhia divulgue ações para reduzir impacto ambiental durante reunião anual dos acionistas

Funcionários da Amazon pressionam empresa por políticas climáticas

O grupo pede que a Amazon siga o exemplo de outras gigantes da tecnologia que se engajaram nas causas climáticas

Funcionários da Amazon estão cobrando a empresa por uma postura mais rígida em relação a mudanças climáticas e emissão de poluentes. Nesta quarta-feira (22), um grupo de 50 trabalhadores foi ignorado por Jeff Bezos ao se manifestar durante a reunião anual de acionistas, nos Estados Unidos.

O grupo integra o movimento Amazon Employees for Climate Justice (Funcionários da Amazon por Justiça Climática, em tradução livre), que conta com mais de 7,5 mil assinaturas. Eles apresentaram uma proposta para que a empresa revele dados sobre como pretende reduzir sua dependência de combustíveis fósseis na linha de entregas, entre outras políticas para mitigar as mudanças climáticas. A medida foi negada pelo conselho.

“A Amazon tem o poder e os recursos para despertar a imaginação do mundo e liderar o caminho para enfrentar a crise climática. Estamos perdendo a liderança do topo da empresa”, disse o engenheiro de software Jamie Kowalski.

O grupo pede que a Amazon siga o exemplo de outras gigantes da tecnologia que se engajaram nas causas climáticas. Desde 2012 a Microsoft adota medidas para neutralizar as emissões de carbono, passo que o Google já havia dado em 2007.

Frustrados, os trabalhadores criticaram a postura de Bezos. “A inação de Jeff e a falta de resposta significativa ressaltam sua rejeição a crise climática e fala muito sobre como o conselho da Amazon continua a não priorizar a abordagem do seu papel na emergência climática.”

Em resposta, a Amazon disse que se comprometeu a atingir uma pegada de carbono zero em 50% dos envios de mercadoria até 2030. A companhia também afirmou ter um plano para impulsionar sua infraestrutura global, incluindo a Amazon Web Services (AWS), com energia sustentável.

Os trabalhadores afirmaram que apresentarão a proposta novamente na reunião do próximo ano. “Vamos anunciar outras ações nos próximos meses. Nós, funcionários da Amazon, temos talento e experiência para refazer indústrias inteiras com uma velocidade incrível. Este é o trabalho que queremos fazer”, afirmou um dos manifestantes.