Ciência

França não descarta terceiro ‘lockdown’ se situação epidêmica da covid se agravar

Crédito: POOL/AFP

Trabalhadores abrem uma caixa da primeira remessa de vacinas da Pfizer-BioNTech na farmácia central AP-HP nos arredores de Paris, 26 de dezembro de 2020 (Crédito: POOL/AFP)

A França não descarta determinar um terceiro ‘lockdown’ se a situação epidêmica se agravar, advertiu o ministro da Saúde francês, Olivier Véran, em entrevista ao jornal Journal du Dimanche, por ocasião do início da campanha de vacinação contra a covid-19 no domingo.

“Não descartamos nunca medidas que poderiam ser necessárias para proteger a população. Isto não quer dizer que o tenhamos decidido, mas estamos observando a situação a cada hora”, declarou o ministro.

+ São Paulo vai voltar para a fase vermelha do lockdown contra a covid
+ Bolsonaro: ‘caso exercesse pressões por vacina, seria acusado de interferência’

As autoridades temem que nas próximas semanas ocorra uma terceira onda de contágios, logo após as festas de fim de ano.



E mais ainda levando-se em conta que a circulação do vírus permanece alta, com “15.000 contágios detectados, em média, a cada dia, enquanto tínhamos baixado para 11.000”, admitiu Véran na entrevista.

“O objetivo dos 5.000 [casos diários] se distancia. E a pressão no sistema de saúde continua sendo importante, com 1.500 entradas diárias, uma tensão que diminui muito pouco nos serviços de terapia intensiva”, destacou o ministro, que se disse disposto a tomar “as medidas necessárias se a situação se agravar”.

Vários países já tomaram medidas para retomar o confinamento, mas a França “decidiu [adotar] medidas estritas e difíceis antes para deixar os franceses respirarem durante as festas”, declarou o ministro. E embora isto “tenha funcionado, é verdade que não [foi] o suficiente”, com mais de 40.000 casos de covid-19 registrados em 48 horas (na quinta e na sexta-feira).

Neste sábado, foram registrados apenas 3.093 casos, mas muitos laboratórios estavam fechados por causa do feriado do Natal.

“Saberemos rapidamente se as reuniões familiares e festivas terão um impacto”, afirmou Véran, que aconselhou aos franceses se absterem de comemorar a chegada do Ano Novo.

“Não podemos, por uma noite, nos arriscar a bloquear o país inteiro de novo durante semanas”, disse.

No domingo começa a campanha de vacinação na França. As primeiras vacinas serão aplicadas em residentes de dois lares para idosos em Sevran, perto de Paris, e em Dijon, no leste do país.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel