Economia

Fotógrafa investe R$ 50 mil e lança editora infantojuvenil durante a pandemia

Crédito: Pixabay

De cara, a editora criada por Denise Becker foi responsável pelo  lançamento de três livros. E a previsão é fechar 2021 com faturamento de R$ 150 mil (Crédito: Pixabay)

Nem a crise econômica, agravada pela pandemia, nem a retração das livrarias intimidaram a fotógrafa catarinense Denise Becker de empreender neste segmento. Com um investimento de R$ 50 mil, Denise lançou a Philia, uma editora infantojuvenil no ano passado. De cara, a editora foi responsável pelo  lançamento de três livros. E a previsão é fechar 2021 com faturamento de R$ 150 mil.

A principal linha editorial é a literatura que se ramifica em ficção, poesia, fotografia, gastronomia, infantojuvenil e projetos especiais. Adotando o slogan ‘Literatura amiga’, Philia é um nome grego e foi retirado do tratado de Ética a Nicômaco de Aristóteles, traduzido geralmente como “amizade”, e às vezes também como “amor”.

+ Cidades do interior são destaque em ranking de empreendedorismo

“Sou fotógrafa documental e artística desde 2010. Comecei meu trabalho fotografando a cidade de Itá, em Santa Catarina, que resultou em um livro do local. A partir de então, já publiquei outros 12 livros de fotografia, todas elas clicadas em Santa Catarina. Quanto à literatura, são inspirações que resgatei recentemente. Quando jovem, escrevia poesias e histórias infantis”, diz Denise.



“Depois, com as tarefas de trabalho, de casa e funções de mãe de duas meninas, acabei as deixando de lado. Como costumo sempre visitar livrarias por onde ando, foi em uma dessas viagens, há três anos, que a vontade de escrever retornou. Inspirações voltaram a surgir nos meus pensamentos e a ideia de abrir uma editora também. Assim nasceu a Editora Philia e na sequência meus primeiros livros infantojuvenis: Conexão Julieta, Boa Noite, Estrela! e As Gavetas do Coração, todos lançados na 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo [dez 2020] com venda mundialmente pela Amazon”, conta.

Para 2021, os planos são ousados. A empreendedora está promovendo um concurso para novos escritores. O objetivo, como explica Denise, é estimular novos talentos. O ‘Eu Conto um Conto’ será uma seleção de contos infantis (narrativa ficcional) adequado para crianças com idade de até 11 anos, inédito ou não, de autores brasileiros ou estrangeiros, com mais de 18 anos de idade. O recebimento dos contos vai até 31 de julho de 2021. O regulamento está no site da editora.

Entre os lançamentos recentes da escritora está ‘As gavetas do coração’, onde a autora provoca a reflexão sobre guardar segredos, sentimentos e impressões, seja no mundo virtual ou no físico.

“O livro é simples, mas profundo. Acredito que a simplicidade do sentimento é a base de tudo. Somos humanos e expostos à várias emoções diárias que geram diversos sentimentos. Resta a cada um de nós decidir o que fazer com esse sentimento. Guardar ou descartar. Se guardar, as opções são várias para decidir, e todas vão para o mesmo lugar, o coração”, explica Denise.

“Tenho recebido feedbacks interessantes, desde as pessoas que me dizem que jogou a chave fora de algumas gavetas ou que o livro provocou remexer em suas gavetas até o despertar de muitas pessoas que tomaram consciência de suas gavetas do coração. A pandemia deixou muitas pessoas sensíveis e com tempo de abrir suas gavetas, arrumar o conteúdo e abrir espaço para o novo”, finaliza a escritora.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel