Negócios

Ford e Volkswagen estudam aliança global

Ford e Volkswagen estudam aliança global

(Arquivo) Foto de 15 de setembro de 2017 mostra logo da Volkswagen em carro em Pequim, na China - AFP/Arquivos

As montadoras Volkswagen e Ford anunciaram, na tarde desta terça-feira, 19, que estão estudando uma aliança estratégica. Segundo as empresas, vários projetos estão sendo analisados, inclusive o desenvolvimento de uma linha de veículos comerciais. Segundo Ford e VW, o objetivo é atender às necessidades de clientes globais que estão em evolução.

“A Ford está empenhada em melhorar nossa qualificação como negócio e alavancar modelos de negócios adaptativos – que incluem trabalhar com parceiros para melhorar nossa efetividade e eficiência”, afirmou Jim Farley, presidente de Mercados Globais da Ford, por meio de nota. “Estamos ansiosos para analisar, junto com a equipe da Volkswagen, como deveremos trabalhar juntos”, complementou.

Pelo lado da companhia alemã, Thomas Sedran, diretor de Estratégia do Grupo, afirmou que as demandas do mercado e dos clientes estão se modificando rapidamente, o que requer uma constante evolução da montadora. “Ambas as empresas já têm posições fortes e complementares em diferentes segmentos de veículos comerciais. Para se adaptarem a um ambiente desafiador, é da mais alta importância ganhar flexibilidade por meio de alianças”, afirmou, também por meio de nota.

Reprise

Não é a primeira vez que Ford e Volkswagen juntam forças. No final dos 1980, as empresas integraram suas produções na América Latina com foco no ganho de escala. A joint-venture, chamada de Autolatina, não deu certo. Menos de uma década depois, a parceria foi desfeita, com enormes prejuízos, principalmente para a Ford.

Porém, ao contrário do que foi feito à época, as empresas anunciaram que, desta vez, o acordo não contemplará troca de ações entre as montadoras.

A Volkswagen, com sede em Wolfsburg, na Alemanha, é dona de 12 marcas de automóveis, motocicletas e caminhões. Ela possui mais de 600 mil empregados, espalhados por 31 países. Já a Ford, baseada em Dearborn, nos Estados Unidos, possui pouco mais de 200 mil empregados.