Fones de ouro

Fones de ouro

A lealdade total à Apple às vezes é um ponto de discórdia. Alguns clientes preferem estocar fones e carregadores de outras empresas, enquanto um grupo permanece fiel aos produtos oficiais da marca. A nova criação da Caviar (empresa de tecnologia de luxo) transformou um par de AirPod Pros em ouro amarelo genuíno de 18K, à venda por US$ 67.280. Sediada na Rússia, a empresa fundada em 2011 rapidamente construiu uma reputação de modificar iPhones e outros dispositivos com metais preciosos. O par exagerado de AirPod Pros em questão certamente reflete o estilo ostensivo da empresa. Apesar do alto preço, o par reluzente já foi vendido. Mas a Caviar ainda oferece uma seleção de estojos com designs exclusivos. Estes começam em US$ 1 mil.

(Nota publicada na Edição 1149 da revista Dinheiro)


Mais posts

Para sentir na pele

Uma das líderes mundiais no mercado de beleza de luxo, com quase 70 anos de tradição, a francesa Clarins está lançando dois novos [...]

O uísque de R$ 72 mil

Há dois anos a Destilaria Buffalo Trace lançou 700 garrafas – produzidas em vidro artesanal – do uísque Old Rip Van Winkle 25 anos, a [...]

Amazônia 5 estrelas

Eleita pelo Lonely Planet um dos destinos em alta para 2020, a Amazônia, com toda a sua riqueza natural e paisagens exuberantes, ainda [...]

Dos pulsos para os olhos

Considerada uma das mais elegantes grifes de relógios do mundo, a Omega aplicou todo o talento dos seus designers para criar uma nova [...]

Que tal alugar o iate da Beyoncé? É só pagar R$ 2 milhões por semana

Divulgação Já pensou, você passar uma semana navegando pelos mares no iate do casal Beyoncé e Jay-Z? Claro que não! Mas não custa [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.