Fome no mundo e desperdício na mesa

Um dos problemas mais críticos que o mundo enfrenta é a fome. Atualmente, estima-se que mais de 820 milhões de pessoas não têm a dose de alimentos necessária para sobreviver. Outros milhões vivem em situação de insegurança alimentar com restrições de quantidade e qualidade. O problema tende a se agravar na medida em que a população global cresce, o que deve gerar demanda extra de 50% na produção de alimentos ante o que é produzido hoje nos próximos 30 anos. Dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apontam que 127 milhões de toneladas de alimentos são jogadas fora por ano na América Latina. No Brasil, de acordo com a Embrapa, 41 mil toneladas de alimentos vão parar no lixo por dia. “O desperdício começa na colheita, quando 10% dos alimentos se perdem; 50% no manuseio e no transporte; 30% nas centrais de abastecimento, como Ceasa; e 10% nos supermercados e nas casas dos consumidores”, afirmou Luciana Chinaglia Quintão, fundadora e presidente da ONG Banco de Alimentos e autora do livro Inteligência Social – A Perspectiva de um Mundo sem Fome(S). Com a crise da Covid-19, a situação piorou. O número de pessoas com fome deve dobrar no planeta até o fim do ano, segundo o programa da ONU World Food Programme. Para reverter o problema, uma série de iniciativas estão sendo tomadas. Entre abril e agosto, a ONG Banco de Alimentos reforçou sua atuação com a distribuição de 4 milhões de quilos de alimentos, impactando positivamente a vida de mais de 800 mil brasileiros. No âmbito global, dois destaques. A FAO acaba de lançar a Plataforma Técnica de Medição e Redução de Perda e do Desperdício de Alimentos, com informações sobre medição, políticas, ações e exemplos de sucesso relacionados ao problema. A segunda foi o reconhecimento pela organização do Prêmio Nobel da urgência da questão ao eleger o World Food Programme como ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2020.

(Nota publicada na edição 1193 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Capacitação para empreendedores negros

O Afrohub, programa que nos últimos três anos capacitou mais de 4 mil afroempreendedores, migrou para o digital. No novo modelo, em [...]

Curso para mulheres da Amazônia

Mulheres da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro são o público-alvo de um curso sobre equidade de gênero, promovido pela [...]

Fazenda solar na moda

Única varejista brasileira no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, a Lojas Renner fechou parceria com uma fazenda solar no Distrito [...]

Painéis anti-poluição

São Paulo foi uma das cidades escolhidas para ganhar painéis ambientalmente responsávei no projeto Converse City Forests. Além de [...]

Mancha negra na Bahia

Há um ano, a extensa mancha de óleo que havia pintado de preto mais de mil praias ao longo de 127 municípios de oito estados do Nodeste brasileiro chegava ao litoral baiano. Passados mais de 365 dias desde o início da contaminação, sem que a origem do desastre ambiental fosse conhecida, o Instituto de Biologia […]

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.