Negócios

Fleury tem lucro líquido de R$ 65,2 milhões no 4º trimestre, alta de 12% ante o


O Grupo Fleury apurou um lucro líquido de R$ 65,2 milhões no quarto trimestre de 2019, montante que representa crescimento de 12% ante os R$ 58,2 milhões registrados do mesmo período de 2018. No acumulado do ano, o lucro líquido da companhia foi de R$ 333,9 milhões, alta de 0,7% em relação aos R$ 331,6 milhões de 2018. A receita bruta trimestral foi de R$ 778,6 milhões, com alta de 9,1%, enquanto a anual foi de R$ 3,1 bilhões, crescimento de 9,1% em relação ao acumulado de 2018.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) também teve crescimento e foi a R$ 153,9 milhões, alta de 5,9% em comparação ao registrado no final de 2018, de R$ 145,4 milhões. Em todo o 2019, o Ebitda foi de R$ 719,6 milhões, o que representa alta de 4% em comparação aos R$ 691,6 milhões no acumulado de 2018.

Já a receita líquida entre outubro e dezembro do ano passado foi de R$ 720 milhões, alta de 10% em relação aos R$ 654,8 milhões registrados no quarto trimestre de 2018. No montante anual, a receita líquida chegou a R$ 2,9 bilhões, alta de 9%. A margem Ebitda recuou 0,8 ponto percentual entre o quarto trimestre de 2019 e o mesmo período de 2018, chegando a 21,4%.

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE) foi de 18,8%, recuo de 37 pontos base em relação ao mesmo período de 2018.

Durante o ano de 2019, a companhia realizou 82,1 milhões de exames, e 321,5 mil assessorias médicas. A empresa conta atualmente com 10 mil funcionários, incluindo 2,4 mil médicos.

Expectativas do mercado

Os resultados do trimestre para lucro líquido, receita líquida, Ebitda e margem Ebitda estão dentro do esperado por parte dos analistas do setor. Com a expectativa do mercado de bons resultados no balanço anual, o Grupo Fleury esteve entre as maiores altas do Ibovespa na tarde desta quarta-feira e fechou em alta de 3,36%, a R$ 31,99.

O lucro líquido de R$ 65,2 milhões estava em linha com as projeções do Santander, que apontavam alta de 15% ante o registrado no mesmo período de 2018, chegando a R$ 67 milhões. O Itaú BBA apontava crescimento ligeiramente menor, de 13,1%, estimando R$ 65,8 milhões de lucro líquido.

As estimativas dos bancos para o Ebitda também antecipavam a alta. A previsão do Itaú BBA para o trimestre em relação ao mesmo período de 2018 era de 3,7% de crescimento, com Ebitda de R$ 150,8 milhões. O Santander apontava R$ 154 milhões para o período, resultado 6% maior na comparação anual.

Os relatórios indicavam ainda queda na margem Ebitda. O Santander apontava “resultados neutros”, em linha com a tendência dos trimestres anteriores. A margem Ebitda prevista pelo banco era de 21,5%. O BTG indicava recuo de 0,4 ponto, chegando ao patamar de 21,8%. O Itaú BBA projetou um recuo ainda maior, aos 21%.

Os bancos também projetaram alta da receita líquida. As projeções do Santander indicavam R$ 714 milhões no trimestre, o que representaria 9% de alta, enquanto Itaú BBA apostava em R$ R$ 717,5 milhões, ou seja, 9,6% de alta. Já o BTG projetou R$ 720 milhões para o trimestre, o que representaria crescimento de 10% em relação ao ano anterior.