Dinheiro em Ação

Fleury quer ir além dos exames clínicos

Crédito: João Castellano/Istoe

O grupo de medicina diagnóstica Fleury desembolsou R$ 185,5 milhões na semana passada para adquirir duas empresas. A compra da Newscan, dona da Lafe Laboratório de Análises Clínicas, visa aumentar a presença na região metropolitana do Rio de Janeiro, onde a Lafe tem 32 unidades de atendimento. O negócio movimentou R$ 170 milhões. Já a aquisição da Santécorp, especializada em gestão de saúde, por R$ 15,5 milhões, representa uma mudança na estratégia. “Queremos nos transformar em uma plataforma de negócios”, diz Carlos Marinelli, presidente da companhia. Ele afirma estar avaliando a compra de outras empresas fora da área de medicina diagnóstica. De acordo com Sandra Peres, analista-chefe da Coinvalores, o plano é positivo, o que se reflete nos números. A geração de caixa medida pelo Ebitda cresceu 11% no terceiro trimestre, para R$ 181,5 milhões.

Touro x urso

O Ibovespa começou dezembro em tom positivo em meio à trégua em relação à percepção de risco na negociação comercial entre China e Estados Unidos. Na segunda-feira 3, o índice chegou a bater o recorde de 91 mil pontos durante o pregão, impulsionado pelas ações das siderúrgicas,da Vale e da Petrobras. No entanto, as tensões na Europa pressionaram as bolsas externas, o que incentivou os investidores a realizarem lucros por aqui. Até terça-feira 4, o índice acumulava queda de 1,04%.

Quem vem lá
IPO do BMG pode levantar R$ 2 bilhões

Beto Novaes

O banco mineiro BMG deve começar a negociar suas ações na Bolsa no próximo dia 19, de acordo com o cronograma da sua Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês). Com foco em cartão de crédito consignado, o banco pode levantar R$ 2,03 bilhões com a operação, considerando o valor de R$ 12,50 por ação, preço médio dos papéis. O BMG informou que pretende usar os recursos para comprar empresas e ampliar a rede Help.

Saneamento
Sabesp sob novo comando

O engenheiro Benedito Braga vai substituir Karla Bertocco no comando da Sabesp a partir do ano que vem, sob a gestão do governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB). Braga tem 71 anos e é Professor de engenharia civil e ambiental da Escola Politécnica da USP. Ele foi secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo durante o governo de Geraldo Alckmin e deixou o cargo em maio. Na avaliação de Luis Gustavo Pereira, analista da Guide Investimentos, a mudança é positiva, “Braga está alinhado com as propostas pró-mercado, e tem competência para contribuir na melhora da rentabilidade da companhia”, escreveu em relatório. As ações caem 14,6% no ano.

Destaque no pregão
Europa aprova fusão da Suzano

Sergio Zacchi

A última barreira para a confirmação da união entre Suzano e Fibria foi vencida no dia 29 de novembro, quando as autoridades europeias aprovaram a fusão das companhias. A junção dá origem à maior empresa brasileira do agronegócio, com valor de mercado de R$ 86 bilhões. A transação já havia sido aprovada por Brasil, Estados Unidos, China e Turquia. A nova companhia, que vai manter o nome Suzano, terá capacidade de produzir 11 milhões de toneladas de celulose e 1,4 milhão de toneladas de papel por ano. “Uniremos as melhores práticas operacionais e de sustentabilidade das duas empresas”, afirma o presidente Walter Schalka. Entre janeiro e setembro deste ano, as duas empresas apresentaram R$ 10,1 bilhões em geração operacional de caixa e R$ 24,5 bilhões em receita líquida, dois recordes históricos no setor.

Energia
Eletropaulo agora é Enel Distribuição

O grupo italiano Enel, que adquiriu 70% da Eletropaulo em junho por R$ 5,5 bilhões, anunciou na segunda-feira 3 a mudança do nome da companhia para Enel Distribuição. Com objetivo de modernizar a rede elétrica, os italianos se comprometeram a investir R$ 3,1 bilhões entre 2019 e 2021. O montante será revertido em instalação de equipamentos e sistemas de controle remoto. A área digital também será contemplada com o lançamento do novo aplicativo da distribuidora, que deve facilitar o acesso a serviços como o de renegociação de dívida para os consumidores. As ações sobem 95,1% no ano.

Palavra do analista:

De acordo com Leonardo Correa, analista do BTG Pactual, as sinergias de cerca de R$ 15 bilhões devem acontecer ao longo dos próximos dois anos. Ele recomenda a compra da ação da Suzano, com preço-alvo de R$ 65 em 12 meses, o que representa ganho potencial de 63%. O papel fechou a sessão de quarta-feira 4 negociado a R$ 39,65.

Mer­ca­do em números

JBS
5,48 mil
São as toneladas de carne moída produzidas na unidade do frigorífico em Tolleson, Arizona, que terão de ser recolhidas por ordem do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Há suspeitas de contaminação por salmonela

EMBRAER
US$ 156 milhões
É o valor do contrato firmado pela companhia com a dinamarquesa Nordic Aviation Capital para a venda de três jatos E190

J. MACÊDO
R$ 90,5 milhões
É quanto a companhia cearense de produtos alimentícios pretende captar por meio de uma emissão privada de debêntures simples, com cinco anos de prazo

MARFRIG
R$ 3,4 milhões
É o montante que o frigorífico está investindo para construir uma unidade de produção de hambúrger em Bataguassu (MS)

DROGASIL
7
Foi o número de lojas inauguradas pela companhia no mês de outubro