Economia

Fitch avalia que tendência para setor de rodovias continua negativa


Os dados mais positivos de tráfego nas rodovias pedagiadas do País observados ao longo dos últimos meses ainda não foram suficientes para reverter a tendência negativa do segmento, na avaliação da Fitch Ratings. Segundo a analista Alessandra Braga, a tendência para o setor continua negativa e podem ocorrer outros downgrades caso não haja retomada do tráfego.

Ela ponderou, no entanto, que a expectativa da agência de avaliação de risco é de retomada do tráfego nas rodovias no curto a médio prazos.

A analista Isabella Magalhães lembrou que o setor já tem dado sinais de melhora desde o segundo trimestre, quando o volume de veículos leves voltou a crescer, embora no segmento de veículos pesados a queda tenha persistido. Já no terceiro trimestre, os dois segmentos passaram a crescer, movimento que se repetiu em outubro. “A Fitch entende que precisa esperar um pouco para ter certeza de que esse crescimento é sustentável, mas é um bom começo”, disse.

Ela lembrou que muitas concessionárias de rodovias foram penalizadas nos últimos anos em sua capacidade financeira e de crédito justamente por conta da queda do tráfego, agravada pela dificuldade de reestruturação das dívidas e de liquidez.

Isabella salientou, no entanto, que, além de primeiros sinais positivos do tráfego, há sinais positivos também vindos de Brasília, com a melhora dos modelos de concessão para os novos projetos, a possibilidade de devolução amigável da concessão e uma abertura a renegociação dos contratos de concessão, permitindo o reescalonamento dos investimentos, o que pode favorecer as concessionárias no curto prazo.