Economia

Filé mignon fica 20% mais barato e arroz, 40% mais caro; Veja principais altas e baixas do ano

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O preço do arroz e do feijão pesou no bolso dos brasileiros. Por outro lado, algumas proteínas estão com preços mais acessíveis neste ano (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

A compra do supermercado está cada dia mais salgada. O preço do arroz e do feijão, a combinação preferida dos brasileiros, tem causado indigestão nas famílias. Por outro lado, algumas proteínas estão com preços mais acessíveis neste ano.



A dica é pesquisar bem antes de comprar, porque a variação de preços é alta de um estabelecimento para outro. Esse fenômeno econômico  levou, inclusive, o Procon-SP a criar uma operação especial de monitoramento e combate à precificação excessiva e injustificada de produtos da cesta básica, especialmente do arroz.

+ Procon apura aumento de preços em itens da cesta básica em SP
+ Procon-SP vai fiscalizar preços de produtos da cesta básica

Principais reduções

Enquanto itens básicos como feijão e arroz tiveram aumento considerável, os cortes de carne mais nobres apresentaram redução nos preços.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



O file mignon lidera o ranking dos alimentos com maiores quedas no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A proteína acumula baixa de 20,08% neste ano. Mas não se engane com a redução. Ainda assim o quilo deste alimento é encontrado, em média, acima de R$ 50.

Para quem quer fazer aquele churrasco no fim de semana, a alcatra apresenta queda de 9,07% e contra filé, recuo de 4,05%, no acumulado do ano.

Tem também frutas com preços mais acessíveis, como é o caso do abacate (-22,35%) e da laranja Bahia (-4,66).

Principais altas

O feijão fradinho acumula a maior alta do período, com elevação de 57,29%. O feijão preto teve alta  34,47% e o carioca de 11,66%, conforme dados do IPCA.

O arroz, por sua vez, acumula aumento de 40,69%, Enquanto que o óleo de soja está 51,30% mais caro e a cebola 32,66%.

Já o leite longa vida está custando 30,38% mais agora do que no início do ano.

 

 


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto