Agronegócio

Fertilizantes: Nutrien reverte lucro e tem prejuízo de US$ 48 milhões no 4º tri

Nova York, 19 – A companhia canadense de fertilizantes Nutrien registrou prejuízo com operações continuadas de US$ 48 milhões no quarto trimestre de 2019, anunciou a empresa na noite desta terça-feira, 18. Em igual período do ano passado, a empresa havia registrado lucro de US$ 296 milhões. Segundo a Nutrien, o prejuízo foi motivado por uma desaceleração global temporária na demanda por fertilizantes. Isso acabou ofuscando o forte desempenho da companhia no segmento de varejo. A receita diminuiu 9%, para US$ 3,442 bilhões.

No segmento de varejo, as vendas aumentaram 8% no quarto trimestre na comparação anual, para US$ 2,171 bilhões.

+ TRT suspende demissões na fábrica de fertilizantes da Petrobras até 6 de março
+ Fertilizantes/EUA: lucro da CF Industries aumenta 12,2% no 4º trimestre
+ Entregas de fertilizantes no Brasil devem crescer 1,9% em 2020, diz INTL FCStone

A receita com potássio diminuiu 45%, para US$ 350 milhões. Na América do Norte, o volume de vendas de potássio caiu 18%, prejudicado pelo clima excessivamente úmido nos Estados Unidos tanto na primavera quanto no outono. Em outras regiões, a queda do volume foi de 56%, refletindo a decisão de clientes em importantes mercados de adiar as compras e/ou recorrer aos estoques existentes.

Em nitrogenados, as vendas diminuíram 23%, para US$ 500 milhões. A receita com fosfatados caiu 28%, para US$ 260 milhões.

Para todo o ano de 2020, a companhia acredita que as exportações norte-americanas de produtos agrícolas para a China devem melhorar significativamente tanto no curto quanto no médio prazo, com o andamento da fase 1 do acordo comercial entre Washington e Pequim.

A demanda por insumos nos EUA em 2020 deve ser impulsionada por um aumento esperado de 6% na área plantada no país, disse a Nutrien. Além disso, a empresa prevê uma melhora da demanda por potássio no Sudeste Asiático por causa da alta dos preços de óleo de palma desde meados de 2019.

A Nutrien observou, no entanto, que continua monitorando os possíveis efeitos do coronavírus, da estiagem na Austrália e do surto de peste suína africana na China.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança