Economia

Fed: Kaplan projeta que PIB dos EUA terá contração de 3% em 2020

O presidente da distrital de Dallas do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Robert Kaplan, projetou que o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos registrará contração de cerca de 3% em 2020, e expansão de 3,5% em 2021. Pelas previsões dele, a taxa de desemprego deve terminar este ano perto de 7,5%, antes de recuar a 5,7% no final do próximo. Já a inflação anual pelo PCE deve encerrar 2020 em 1,6%.

Os números constam em ensaio publicado nesta terça-feira no site da instituição. No documento, Kaplan argumenta que, após a crise da covid-19, o mundo será muito diferente, de forma imprevisível. Por isso, para ele, nas reuniões futuras, o Fed precisar ter flexibilidade para realizar julgamentos sobre a economia.

“Estou cético em relação aos benefícios de uma orientação futura (“foward guidance”) aprimorada no momento, porque as taxas de juros já estão historicamente baixas e, mesmo antes desta reunião (de setembro, as expectativas do mercado eram de que permanecessem baixas nos próximos anos”, destacou.

Apoio fiscal

Kaplan voltou a defender a necessidade de implementação de mais apoio fiscal nos Estados Unidos. No ensaio, o dirigente argumentou que um novo pacote é importante para apoiar desempregados e fornecer assistência a governos locais e estaduais. “A falta de alívio fiscal adicional criaria um risco negativo para minha previsão econômica para 2020 e 2021”, escreveu.

Kaplan acrescentou que o ritmo de recuperação vai depender da capacidade do país em controlar o coronavírus. Para isso, ele cita o uso de máscaras, o distanciamento social e o cumprimento de normas sanitárias, além da ampliação do volume de testes. “Mesmo com uma vacina eficaz, que esperamos ser aprovada nos próximos meses, essas medidas provavelmente serão vitais até que possamos imunizar com segurança a maior parte da população”, destacou.

O dirigente assegurou que o Fed fará tudo o que for possível para ajudar os EUA a superarem a crise. De acordo com ele, as prioridades devem ser combater a covid-19 e atingir os objetivos do mandato duplo da autoridade monetária – máximo emprego e estabilidade de preços. Isso inclui manter juros baixos e seguir com os programas de crédito pelo tempo que for necessário. “Além disso, acredito que é necessário manter o foco em fazer mais para ajudar as pequenas e médias empresas a terem acesso ao capital”, ressaltou.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?