Economia

Faturamento real da indústria cresce 7,4% em julho ante junho, diz CNI

Crédito: CNI

Nos últimos três meses, o indicador acumula alta de 34,5% e o faturamento está 1,7% menor que o registrado em fevereiro de 2020, antes da pandemia. Ou seja, os números atuais já estão próximos ao pré-pandemia (Crédito: CNI)

A atividade industrial continuou em trajetória de recuperação em julho, o que se refletiu em um aumento do faturamento real, das horas trabalhadas na produção e da Utilização da Capacidade Instalada (UCI) pelo terceiro mês consecutivo. Os dados são da pesquisa Indicadores Industriais divulgada nesta terça-feira, 8, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo o levantamento, o faturamento real teve alta de 7,4% em julho, na comparação com junho, considerando a série dessazonalizada.

Nos últimos três meses, o indicador acumula alta de 34,5% e o faturamento está 1,7% menor que o registrado em fevereiro de 2020, antes da pandemia. Ou seja, os números atuais já estão próximos ao pré-pandemia.

+ Indústria perde participação na atração de investimento produtivo para o País
+ Indústria automobilística tem em agosto melhor resultado na pandemia
+ CNI: participação do Brasil na produção industrial mundial cai para 16ª posição 

As horas trabalhadas na produção tiveram aumento de 4,5% em julho ante o mês anterior, acumulando alta de 20,9% nos últimos três meses, o que reverte a maior parte da queda de 23% observada em março e abril, destaca a CNI.

Apesar da melhora, o total de horas trabalhadas ainda está 7% abaixo do apurado em fevereiro.

A UCI registrou aumento de 2,9 pontos porcentuais em julho, atingindo 75,4%, 3,4 pontos abaixo do registrado no pré-pandemia, em fevereiro.

Nos últimos três meses, o indicador acumula alta de 8,8 pontos porcentuais.

Apesar da melhora nesses indicadores, o emprego industrial segue sem reação. Em julho, o emprego no setor ficou próximo da estabilidade, registrando queda de 0,2%.

A massa salarial real e o rendimento médio real caíram em relação a junho, 1,7% e 2,4% respectivamente.

Em relação a fevereiro, ou seja, ao período antes da pandemia, o emprego industrial ainda acumula queda de 3,5% e a massa salarial queda de 6,8%.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?