Economia

Faturamento do atacado distribuidor cresce 7,52% em maio ante abril, diz Abad

O setor atacadista e distribuidor brasileiro viu no início da crise uma migração forte das pessoas físicas para compras de abastecimento nos chamados atacarejos. Esse movimento, acentuado na segunda quinzena de março, levou o primeiro trimestre a apresentar alta nominal de 3% sobre o faturamento do mesmo período de 2019. Apenas em março, o crescimento sobre os 30 dias anteriores foi de 14,88%. Logo em seguida, em abril, houve recuo de 14,17%. Os dados de maio apontam uma recuperação do crescimento, com alta de 7,52% no faturamento do setor sobre o mês anterior.

Startup de incubadora da Ambev lança atacado próprio com entrega em até 24h

Atacado distribuidor cresce no 1º tri, mas sente efeitos da crise, diz Abad

No acumulado do ano, de janeiro a maio, há uma alta nominal de 0,7% no faturamento. Mas esse crescimento não acompanhou a inflação do período. Se considerado o mesmo dado deflacionado (quando se desconsidera a inflação do período), a curva se inverte e passa a ser uma queda de 2,38% em relação ao mesmo intervalo de 2019.

Perda

Já na comparação de maio deste ano com o mesmo mês de 2020, a perda nominal é de 0,39%, enquanto o dado deflacionado indica queda de 2,23% no faturamento do setor. Os números são da pesquisa mensal da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad), apurada pela Fundação Instituto de Administração (FIA) com um grupo representativo de empresas.

Para a Abad, as quedas em relação a 2019 eram esperadas e mostram que o setor sente os efeitos da crise causada pelo novo coronavírus.

“Em março, a pandemia do novo coronavírus gerou expectativas de falta de produtos no mercado, o que levou muitos consumidores a aumentar o volume de compras e fazer estoques em casa. Como o abastecimento mostrou-se normalizado, o movimento de queda no faturamento em abril era esperado. Agora, vemos a situação caminhar para um novo estado de normalidade, com boas surpresas, como a valorização do pequeno e médio varejo, que é o principal cliente do setor”, afirma Emerson Destro, presidente da Abad.

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?