Mundo

Família Gupta sofre sanções nos EUA por corrupção na África do Sul

Família Gupta sofre sanções nos EUA por corrupção na África do Sul

Os Gupta, que mantinham relações estreitas com o ex-presidente sul-africano Jacob Zuma, são acusados de terem "roubado milhões de dólares mediante estratagemas ilícitos com o governo", diz o Tesouro americano - AFP/Arquivos

Os Estados Unidos anunciaram, nesta quinta-feira (10), sanções contra uma poderosa família da África do Sul, os Gupta, ligada a escândalos de corrupção.

Na lista negra de sanções foram incluídos Ajay, Atul e Rajesh Gupta, acusados pelo Departamento do Tesouro americano de estarem envolvidos “em uma ampla rede de corrupção e de subornos para obter contratos do governo”.

Com relações estreitas com o ex-presidente sul-africano Jacob Zuma, os Gupta são acusados de terem “roubado milhões de dólares mediante estratagemas ilícitos com o governo”, acrescentou o Tesouro americano.

Essas sanções congelam os bens que possam ter nos Estados Unidos e proíbem todas as entidades do país de fazerem negócios com a família.

Os Gupta e um de seus sócios, Salim Essa, que também está na lista, “usaram sua influência sobre importantes partidos e homens políticos para encher os bolsos com bens alheios”, declarou a subsecretária do Tesouro encarregada das sanções, Sigal Mandelker.

Os membros dessa família de origem indiana emigraram para a África do Sul nos anos 1990 e “fizeram seus negócios prosperarem, graças a generosas doações a um importante partido político e a sua relação com o ex-presidente Jacob Zuma”, acrescentou o governo americano.

A família ofereceu dinheiro, ou altos cargos, a membros do governo em troca de sua cooperação para favorecer sus interesses financeiros.

Esses escândalos de corrupção obrigaram Zuma a renunciar à Presidência em fevereiro de 2018 diante de acusações de ter favorecido a malversação de recursos estatais, ao facilitar os negócios dos Gupta.

A família de empresários abandonou a África do Sul e agora vive em Dubai.