Geral

Facebook cria “sala de guerra” para evitar interferências nas eleições dos EUA

Rede social está preparando estrutura que detecte e iniba qualquer problema na votação do Congresso norte-americano, em 6 de novembro

Facebook cria “sala de guerra” para evitar interferências nas eleições dos EUA

O Facebook informou que tomará medidas para cumprir sua promessa de revelar os patrocinadores de anúncios políticos - AFP/Arquivos

O Facebook está construindo uma verdadeira “sala de guerra” para evitar interferências nas eleições legislativas norte-americanas. A votação para os representantes do Congresso está marcada para o dia 6 de novembro.

O laboratório de informática será dirigido pelos técnicos da empresa na detecção de qualquer tipo de ação que possa influenciar no pleito.

Samidh Chakrabarti, chefe de engajamento cívico do Facebook, disse à NBC News que a empresa precisa estar preparada para qualquer coisa após a polêmica da interferência da Rússia na eleição presidencial de 2016.

“Estamos construindo esta sala de guerra, uma sala de guerra física com pessoas da empresa, de todas as áreas. Se descobrimos algum problema nas horas que antecedam a eleição, podemos tomar uma ação rápida e decisiva”.

A estrutura será equipada com telas de monitoramento de métricas. Caso alguma atividade fora do normal seja apresentada, alarmes serão disparados.

“A sala de guerra não é tanto sobre a tecnologia que está lá, mas sobre o processo de ter pessoas em diferentes funções capazes de diagnosticar e consertar qualquer tipo de problema”.

Na entrevista, Chakrabarti afirmou que o Facebook está se adaptando para evitar as situações da última eleição. Entre as medidas está a maior transparência. Agora, os usuários conseguem ver quem está pagando pelos anúncios. Também houve a exclusão de mais um bilhão de contas falsas no último semestre.

“Nós permanecemos sempre vigilantes, focados para garantir que possamos nos manter à frente dos novos problemas que surjam. Esse será um processo sem fim”.