Ciência

Facebook continua muito popular nos EUA, apesar das controvérsias

Facebook continua muito popular nos EUA, apesar das controvérsias

O Facebook mantém sua popularidade nos Estados Unidos, apesar da série de controvérsias sobre sua gestão de dados pessoais e da aparição de novas plataformas atrativas entre os jovens - AFP/Arquivos

O Facebook mantém sua popularidade nos Estados Unidos, apesar da série de controvérsias sobre sua gestão de dados pessoais e da aparição de novas plataformas atrativas entre os jovens, revelou uma pesquisa do Pew Research Center publicada nesta quarta-feira (7).

De acordo com a pesquisa, 69% dos consultados afirmaram ter usado o Facebook, um nível que se mantém estável há cinco anos.

No total, pouco mais de sete em cada 10 americanos dizem ter visitado alguma rede social, a mesma proporção que no ano passado.

A pesquisa, realizada por telefone entre 1.502 adultos, confirma o lugar dominante que o Facebook tem entre os americanos, apesar da crescente desconfiança de parte do público.

“Houve muitos artigos sobre a evolução da relação dos americanos com o Facebook, mas seus usuários continuam sendo bastante ativos na plataforma”, afirmam os autores da pesquisa. “Sete em cada 10 usuários do Facebook afirmam visitar o site diariamente, 49% deles várias vezes ao dia”.

Enquanto o Facebook mantém o nível, a plataforma de vídeos YouTube, filial da Google, domina o ranking das redes sociais mais populares: 81% dos entrevistados dizem ter visitado o site, um salto de oito pontos em relação à medição anterior.

Instagram (visitado por 40% dos consultados), Pinterest (31%), LinkedIn (28%), Snapchat (25%), Twitter (23%), WhatsApp (23%), TikTok (21%), Reddit (18%) e Nextdoor (13%) aparecem muito atrás.

O uso dessas plataformas varia consideravelmente de acordo com a idade dos usuários. A grande maioria das pessoas entre 18 e 49 anos afirma que usa as redes sociais, enquanto apenas menos da metade dos maiores de 65 as acessam.

Snapchat, TikTok e Twitter são muito populares entre os millennials (nascidos entre 1981 e 1994) e a Geração Z (nascidos entre 1995 e 2004), enquanto são as menos visitadas entre os maiores de 60 anos.

O Facebook, por sua vez, mostra uma distribuição bastante uniforme entre as diferentes faixas etárias.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel