Giro

Facebook apaga anúncios de Trump enquanto tensão eleitoral aumenta nas redes sociais

Facebook apaga anúncios de Trump enquanto tensão eleitoral aumenta nas redes sociais

Facebook disse que eliminou os anúncios da campanha de Donald Trump que pareciam querer amedrontar as pessoas pela entrada de novos imigrantes - AFP/Arquivos

O Facebook afirmou que apagou anúncios de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nos quais dizia que seu rival democrata Joe Biden é “perigoso” para o país por querer permitir uma imigração maior.

Com esta medida, tomada na noite de quarta-feira, a rede social tenta evitar a desinformação.

Os anúncios retirados diziam que Biden era “perigoso para os Estados Unidos” e denunciava que o democrata permitiria um “aumento” da imigração, sugerindo que isso poderia provocar um maior risco para a segurança e contra o coronavírus.

“Retiramos esses anúncios porque não permitimos afirmações de que a segurança física, saúde ou a sobrevivência das pessoas sejam ameaçadas com base em sua origem nacional ou estado de imigração”, disse o Facebook em uma declaração.

A retirada desses anúncios destacou o desafio para as plataformas de redes sociais, que buscam checar as inúmeras afirmações falsas que surgem durante a acirrada campanha eleitoral – muitas das quais são geradas por Trump.

No início deste ano, o Facebook retirou um anúncio do presidente que continha um símbolo usado na Alemanha Nazista para designar os prisioneiros políticos.

Por outro lado, o Facebook também afirmou que estava esclarecendo suas regras sobre os anúncios que tentam questionar a legitimidade do processo eleitoral, em meio a comentários recentes de Trump que sugerem que a contagem de votos não é confiável.

“Além de proibir os anúncios que fazem declarações prematuras de vitória, também não permitiremos anúncios com conteúdo que busque deslegitimar o resultado da eleição dos Estados Unidos”, disse o gerente de produtos do Facebook, Rob Leathern.

“Isso incluiria apelar para um método de votação intrinsecamente fraudulento ou corrupto, ou usar incidentes isolados de fraude eleitoral para deslegitimar o resultado de uma eleição”.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?