Negócios

Ex-funcionário da Tesla diz que empresa hackeou celular e computadores de empregados

Ele também afirma que a companhia não contou a autoridades sobre um esquema de tráfico de drogas dentro da fábrica da Tesla

Ex-funcionário da Tesla diz que empresa hackeou celular e computadores de empregados

Logotipo da Tesla em 8 de agosto de 2018 em Washington - AFP/Arquivos


Um ex-funcionário da Tesla fechou um acordo de delação com a Securities Exchange Comission (SEC, similar americana da Comissão da Valores Imobiliários) sobre práticas ilegais durante o período em que trabalhou na empresa de Elon Musk. A delação de Sean Gouthro foi fechada no dia 24 de janeiro, após outro ex-funcionário, Karl Hansen que trabalhava no departamento de segurança interna, ter falado com a SEC sobre irregularidades praticadas na empresa.

Segundo o representando de Hensen, a Tesla não divulgava para acionistas ações de roubo de material bruto e não autorizados via hacks em computadores e celulares de funcionários da casa. Ele também afirma que a companhia não contou a autoridades sobre informações recebidas de que havia uma esquema de tráfico de drogas dentro da fábrica da Tesla, em Nevada.

Já Gouthro afirma que a ideia de fechar o capital da Tesla em 2018 – anunciada de maneira atabalhoada por Musk via Twitter, e que lhe rendeu sanções da SEC, inclusive tirando-o do controle da empresa – estava sendo ventilada há tempos na empresa, e que a medida era vista com receio com questionamentos de sua legitimidades. A Tesla negou as informações através de um porta-voz

“O Sr. Gouthro trabalhou na Tesla por aproximadamente um ano como supervisor do centro de controle de segurança, e foi demitido da empresa empresa. O Sr. Gouhtro era um professional que ocupava um profissional de segurança de cargo intermediário, e foi dispensado devido a baixa performance, incluindo repetidas falhas em demonstrar e entender as melhores práticas de segurança da indústria. Em agosto de 2018 e em setembro de 2018, o Sr. Gouthro foi entrevistado por um advogado que participava de uma investigação interna que analisava as questões que ele agora está trazendo a tona, e na época não levantou nenhuma suspeita ou preocupação com o caso”, disse o representando da Tesla.